Receba nossa news

  •  
  •  
Você está aqui: Home Notícias Mercado Suplementação e vitaminas na gravidez: o que é necessário?

Suplementação e vitaminas na gravidez: o que é necessário?

gravida 03033As necessidades das gestantes devem ser calculadas de acordo com peso, idade e nível de atividade física

No primeiro trimestre, essa necessidade é igual à de mulheres não grávidas. No segundo trimestre, devem-se acrescentar 340 kcal à dieta e, no terceiro trimestre, mais 452 kcal.

Em média, a mulher precisará de 36 kcal/kg ao dia. Além disso, vai necessitar de vitamina C, vitamina E, ácido fólico, ferro, zinco, magnésio, cálcio e fósforo a mais que a demanda de uma mulher não grávida. 

No primeiro trimestre, essa necessidade é igual à de mulheres não grávidas. No segundo trimestre, devem-se acrescentar 340 kcal à dieta e, no terceiro trimestre, mais 452 kcal.

Em média, a mulher precisará de 36 kcal/kg ao dia. Além disso, vai necessitar de vitamina C, vitamina E, ácido fólico, ferro, zinco, magnésio, cálcio e fósforo a mais que a demanda de uma mulher não grávida. 

“A ingestão de proteínas deverá ser, em média, de 60 g/dia. A dosagem da vitamina D no sangue da futura mamãe é essencial e deverá ser suplementada sempre que houver níveis abaixo do esperado.”

É a dieta adequada que desempenha papel fundamental para a formação do bebê durante a gravidez. A alimentação deve ser bem equilibrada, contendo os três grandes grupos de alimentos: carboidratos e gorduras, proteínas e vitaminas e sais minerais. 

“Para suprir essas necessidades, a mãe deve consumir cereais, produtos integrais, frutas, legumes, verduras, laticínios e carnes e, de acordo com a recomendação do médico, suplementos que possuem funções específicas e garantem a saúde da mãe e o perfeito desenvolvimento fetal”, completa a dermatologista, Dra. Juliana.

Uma das vitaminas que certamente a grávida irá consumir, como explica o especialista em medicina preventiva, Dr. Fábio Cardoso, é o ácido fólico, devido à sua importância para a formação neural dos bebês. Há evidências científicas de que essa vitamina precisa ser reposta, mesmo que a mulher se alimente de maneira adequada. Ela deve ser ingerida, preferencialmente, três meses antes de engravidar e até a 13ª semana de gestação.

As vitaminas C e E ajudam na diminuição do risco de anomalias cromossômicas, por isso, são recomendadas. O ácido fólico auxilia na prevenção de malformações congênitas e ele é encontrado em alimentos, como os vegetais de folhas verdes, cereais matinais fortificados, legumes, nozes, feijão, frutas, como laranja, melão e banana, além dos grãos, leite e carne de órgãos, como o fígado, por exemplo, cita a nutricionista do Hospital San Paolo, Flavia Salvitti.

“Normalmente, os médicos prescrevem ácido fólico para tomar três meses antes da concepção”, destaca a Dra. Juliana. Segundo a dermatologista, o ácido fólico evita malformações da medula espinhal. O ferro é fundamental para a formação das células do sangue e a vitamina C ajuda na sua absorção, além de participar do processo da formação de colágeno, vasos sanguíneos, pele, cartilagem e auxiliar no fortalecimento do sistema imunológico. No fim da gestação, o cálcio é de extrema importância para a formação dos ossos do feto.

Veja a matéria completa: http://bit.ly/2lJ1gKv

Sites do Grupo

logo-contento
logo site

Contate-nos

1396561723 social facebook box blue   1396561730 social twitter box blue   1396561765 youtube

Guia da Farmácia: Revista dirigida aos profissionais de saúde
Rua Leonardo Nunes, 198
Vila Clementino – CEP 04039-010
São Paulo – SP


Telefone (11) 5082-2200
comunicacao@contento.com.br