5 mitos e verdades sobre o uso de probióticos em idosos

Com orientação médica e nutricional, a suplementação de probióticos é um aliado na terceira idade

No Brasil, dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que são mais de 30 milhões de idosos, o que representa 14,6% da população.

Uma alimentação equilibrada contribui para se viver mais e com saúde. Com orientação médica e nutricional, a suplementação de probióticos é um aliado na terceira idade.  No entanto, algumas dúvidas costumam surgir quando o assunto é o cuidado com a microbiota, até poucos anos atrás conhecida como flora intestinal.

Para esclarecer alguns mitos, convidamos a alergista e imunologista  Ana Paula Castro, médica assistente da Unidade de Alergia e Imunologia do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo.  “Os probióticos não têm contraindicação e podem ser parte de uma vida saudável. É uma estratégia segura para manter qualidade de vida, mas também conciliando com uma rotina de atividade física e alimentação equilibrada”, explica a médica.

Lembre-se de consultar sempre o seu médico!

1. O funcionamento do intestino do idoso pode melhora com probióticos

Verdade. “Quando o intestino está um pouco ‘atrapalhado’ ocorre o que chamamos de disbiose, que é um desequilíbrio das funções intestinais. Quando estamos mais velhos, questões nutricionais e hábitos alimentares podem levar a isso, assim, é importante ter um bom acompanhamento nutricional. O uso de probióticos ajuda nessa regulação. Além disso, é importante lembrar de fazer exames periódicos, como prevenção de câncer de cólon”, explica a médica Ana Paula Castro.

2. que tomam medicamentos de uso contínuo, como para controle de hipertensão arterial, colesterol, diabetes, não podem usar probióticos porque cortam o efeito.

Mito. “Probióticos não são remédios, eles são bactérias vivas e assim chegam ao seu intestino, lá se proliferam, reequilibrando o funcionamento intestinal. Não tem nada em sua formulação que possa descompensar uma doença de base. Desse modo, vai ajudar a ter uma vida intestinal mais regulada, e com isso, garantir bem-estar”, detalha a especialista.

3. Pessoas da terceira idade que sofrem com diarreias vão se beneficiar com uso de probióticos

Verdade. “As diarreias no dia a dia refletem pequenos processos infecciosos e algumas intolerâncias alimentares. Sim, o probiótico pode ajudar na regulação desse intestino, porque a flora intestinal é convidada a se reequilibrar. Assim, o probiótico ajuda na integridade da parede do intestino. Mas, caso os sintomas persistam, consulte um médico”, orienta a alergista e imunologista.

4. Uso do probiótico é aliado na prática de  atividade física.

Verdade. “Pessoas que realizam atividade física precisam estar atentas à alimentação. À medida que se encantam com os esportes, precisam de uma alimentação balanceada e o intestino deve funcionar bem. O Lactobacillus rhamnosus GG têm papel na regulação intestinal. Desse modo, com uma melhor regulação intestinal haverá uma melhor circulação nessa região. Isso é de grande importância durante a prática do exercício, para que o sangue vá para o lugar certo”, diz a médica.

5. Há limite de idade entre idosos para tomar probióticos.

Mito. “Não há limite de idade para o uso de probióticos. São suplementações bastante seguras e podem ser usadas em qualquer faixa etária. Contudo, existe alguma preocupação, discreta, em relação a pessoas com comprometimento imunológico muito grave, como quimioterapias severas que atinjam o estado geral de um paciente, ou em situações de depressão imunológica bastante grave”, explica Ana Paula.

 

5 perguntas e respostas sobre probióticos

 

Fonte: Cellera Farma

Foto: Divulgação

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário