79% dos brasileiros acham que pandemia está fora de controle e 82% temem ser contaminados

Pesquisa da Datafolha diz também que 55% dos entrevistados disseram que têm muito medo de contaminação, e mais 27% falaram que têm um pouco de medo de serem infectados

Pesquisa Datafolha divulgada da última quinta-feira (18) aponta que 79% dos brasileiros acham que a pandemia está fora do controle e 82% têm medo (muito ou um pouco) de ser infectado pelo coronavírus.

O instituto perguntou ao entrevistado se a pandemia do coronavírus está controlada ou não. As respostas:

  • Fora de controle: 79%
  • Em parte controlada: 18%
  • Totalmente controlada: 2%
  • Não sabe: 1%

Mas, na pesquisa anterior, realizada em janeiro, 62% dos brasileiros disseram que a pandemia estava sem controle; 33% falaram que a situação estava controlada parcialmente; já 3% entenderam que estava totalmente controlada; e 2% não souberam responder.

O levantamento também mostra o medo do brasileiro em ser contaminado:

  • Muito medo: 55%
  • Um pouco de medo: 27%
  • Não tem medo: 12%
  • Já pegou coronavírus: 7%

Contudo, pesquisas anteriores do instituto sobre o medo do brasileiro indicaram:

  • Muito medo: 44% (janeiro de 2021); 41% (outubro de 2020); 43% (agosto de 2020); 47% (junho de 2020); 45% (maio de 2020); 38% (abril de 2020); e 36% (março de 2020)
  • Um pouco de medo: 33% (janeiro de 2021); 32% (outubro de 2020); 36% (agosto de 2020); 31% (junho de 2020); 34% (maio de 2020); 39% (abril de 2020); e 38% (março de 2020)
  • Não tem medo: 16% (janeiro de 2021); 24% (outubro de 2020); 18% (agosto de 2020); 19% (junho de 2020); 21% (maio de 2020); 23% (abril de 2020);  26% (março de 2020)
  • Já pegou coronavírus: 7% (janeiro de 2021); 3% (outubro de 2020); 4% (agosto de 2020);  3% (junho de 2020)

 

Sobretudo, a  pesquisa foi realizada com 2.023 brasileiros adultos, que possuem, portanto, telefone celular, em todas as regiões e estados do país, entre os dias 15 e 16 de março.

A saber, a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Pior momento da pandemia

O presidente Jair Bolsonaro anunciou que o médico Marcelo Queiroga será o novo ministro da Saúde, no lugar de Eduardo Pazuello, o quarto ministro na pasta desde o início da pandemia.

Dessa maneira, o Brasil registrou 2.659 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou nesta quinta 287.795 óbitos.

Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias chegou, assim, a 2.096, novo recorde no índice.

Em comparação, por exemplo, à média de 14 dias atrás, a alta é de 47%, indicando, dessa maneira, tendência de alta nos óbitos pela doença.

Portanto, já são 57 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de 1 mil, e pelo décimo primeiro dia a marca aparece, então, acima de 1,5 mil.

Foram 20 recordes seguidos nesse índice, registrados de 27 de fevereiro até aqui.

Assim, vinte estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes:

Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Amapá, Pará, Rondônia, Tocantins, Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Sergipe.

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário