PDV

A influência do mobiliário na experiência de compra e a referência das lojas conceito

Para o diretor da Desenvolva Consultoria, Marcelo Cristian, o segredo está no mobiliário se comunicar com seu público alvo. Acompanhe no artigo

A escolha do tipo de mobiliário é fundamental para as fases de layoutização, onde cada perfil de loja, possui um tipo de mobiliário a ser definido, assim como os espaços que temos disponíveis dentro da loja, ditarão o tipo de mobiliário que precisamos ter.

Toda farmácia possui basicamente na composição da sua mobília, os seguintes tipos de mobiliários:

  • Módulos de parede: São módulos que visam atrair a atenção do nosso shopper para aquele setor; consequentemente, as categorias que deverão ser expostas nesses locais devem ser, as que eu carinhosamente chamo de “categorias formadoras de opinião”; traduzindo, são aquelas categorias que atingem o público alvo da maioria das farmácias, também são as categorias que fazem nosso público ter a sensação de “uau” ao entrar, e gerar aquela tão desejada conexão emocional entre o estabelecimento e o shopper. São elas: dermocosméticos, skincare, maquiagem, infantil, haircare, eletrônicos, Mips, nutrição, suplementação, autosserviço e perfumes.
  • Gondolas centrais: Esse recurso mobiliário é quase que obrigatório nas farmácias, pois possibilita que aloquemos as “categorias fundamentais”, ou seja, as demais categorias que uma farmácia, por menor que seja, precisa ter para compor seu mix; Dentre as categorias fundamentais, destaco: categoria masculina, desodorantes, higiene intima, higiene corporal, hidratação, higiene oral e varejinho. A demais categorias, as “não fundamentais”, mas tão importantes quanto as citadas anteriormente, só comporão o mix da farmácia se houver espaço físico disponível e publico alvo; São elas: Linha Vegana/Orgânica, Brinquedos, Pet, Suplementação e nutrição esportiva, ortopédicos, linha Sênior. 

Ainda sobre as gondolas centrais, existem atualmente disponíveis no mercado, gondolas de diferentes materiais (como aço e mdf/mdp) e tamanhos; a decisão de escolha de cada um desses critérios dependerá do espaço físico disponível, do publico alvo e da verba disponível para aquisição e/ou reforma da montagem da farmácia.

  • Ilhas promocionais/ cestões/ tablados:  Fazem parte do grupo de “mobiliários estratégicos”, que assim como o nome diz, compõem o mobiliário com o intuito de “fisgar “nossos shoppers em seus momentos de “urgência”; Os clientes buscam resolver problemas quando entram na farmácia, e esse problema as vezes pode ser uma “simples “vontade de comer um doce ou matar a sede com alguma bebida saborosa, ou busca ainda, as tentadoras “ofertas do mês”, compostas por produtos que geralmente o cliente usa muito e rotineiramente; Porem é muito comum que a farmácia utilize os mobiliários estratégicos de forma errada, acabando por expor produtos que não são adequados para essa proposta ou, pior ainda, usando para expor os excessos de produtos que a loja possui e estão “sobrando “no estoque. Os mobiliários estratégicos precisam expor produtos como: lenços umedecidos, pomadas, analgésicos Mips, unguentos, desodorantes, sabonetes, nutraceuticos, conveniência, fraldas, nutrição, e produtos a granel.
  • Fila inteligente:  Esse é um dos recursos mobiliários que mais atuam no aumento do Ticket médio da farmácia, pois é na fila que levam aos caixas que as compras por impulso mais acontecem; isso devido a fatores como: nosso cliente já ter resolvido seu problema ( geralmente nas categorias destino) e por ter que aguardar a finalização do seu atendimento, se tiver no seu campo de visão, produtos que chamem a atenção e despertem o desejo através dos canais “promoção”, “fome”, “impulsividade “e “economia” que temos em nossa mente, com certeza ele comprara produtos além daqueles que o levou até a farmácia. Já ouviu o ditado “nunca vá ao supermercado com fome”? pois é, a regra para farmácias que sabem explorar uma ótima conveniência e fila inteligente funciona exatamente igual.

E falando em tipos e estruturas, hoje temos como opções, desde filas inteligentes formadas por cestões promocionais a filas criadas para esta finalidade, com separadores para conveniência, materiais e modelos que valorizam o produto e incentivam a compra por impulso, além de causar a atratividade desejada.

  • Gondolas tetraédricas: São mobiliários enxutos e no formato quadrangular, com 4 lados de exposição para produtos. É um recurso muito utilizado quando a loja não possui muita disponibilidade de espaço físico, mas que gostaria de mostrar/focar uma determinada categoria, como os Mips no autosserviço, por exemplo. Também são usadas em locais na área de vendas que não caberiam, por exemplo, uma gondola de 1-2 módulos, mas que comportaria um mobiliário 50x 50cm.

Mas, se toda loja possui os mesmos tipos de mobiliários, o que muda na decisão de escolha do melhor modelo?

Quem ditara o modelo, as cores, o padrão, a iluminação, a quantidade e variedade de mobiliários e mix na farmácia é sempre o público alvo! 

Uma farmácia com excelente espaço físico (diga-se algo, em torno de 250m²) com público alvo C, D, E e composta de mobiliários e uma proposta de loja conceito seria considerada um case de sucesso? Com certeza não, pois apesar de vislumbrante, não estaria se comunicando com o publico alvo dela e transpareceria exatamente um efeito contrário a esse público: uma imagem de farmácia “cara”. 

O contrário também poderia acontecer; imagine uma farmácia que explore a temática, cores e mix popular, sendo montada neste conceito em um bairro nobre, onde o publico alvo busca experiencia de compra, lifestile, inovações tecnológicas, e uma proposta sustentável. Daria certo?

E pensando neste quesito de loja conceito, um erro muito frequente acontece na escolha de mobiliários que comporão esse tipo de loja; muitos “julgam” que ter cestões promocionais, por exemplo, em lojas conceito é sinônimo de inserir um elemento “popular” e que consequentemente, destoaria do equilíbrio desejado. Sim, inserir um mobiliário estratégico aos moldes tradicionais, com certeza destoaria; mas…e se esse mobiliário tivesse um formato completamente inovador e explorasse as tendências e elementos sustentáveis na sua composição e forma? Ainda assim, seria um mobiliário popular? E se a tradicional vitrine de ofertas fosse transformada em uma vitrine com nichos, iluminação e painéis que mostrassem os produtos e novidades, em LED digitais? E se o autosserviço contasse com recursos digitais de consulta dos produtos, finalização das compras, facilitando e otimizando assim, o tempo e a experiencia de compra desse shopper na loja?

O segredo está no mobiliário se comunicar com seu público alvo….

Para isso, separei neste artigo, 5 dicas que te ajudarão a definir o mobiliário correto:

  1. Conheça seu publico alvo: estude ele, saiba sobre seu comportamento em loja e quais categorias mais buscam;
  2. Defina o perfil de loja que vai se comunicar com esse público: Sua farmácia pode ter um perfil popular, conceito ou ser um equilíbrio entre os dois, o que chamamos de loja Max;
  3. Esteja atento as tendências: propostas sustentáveis, ecológicas e duráveis estão entre as escolhas que seu público valoriza;
  4. Use a colorimetria correta: toda farmácia deve ter uma identidade visual e isso será definido de acordo com o perfil de loja e perfil de público; tendo isso definido, todos os materiais gráficos, fachada, mobiliários, sancas e demais elementos serão pautados e executados na paleta de cores padrão.
  5. Vislumbre possibilidades: Sua loja é frequentada por pessoas que praticam ciclismo? Ou ainda que chegam a sua loja carregando seus pets? Ou quem sabe, são na sua maioria idosos que se preocupam com sua longevidade? Para cada uma dessas questões, um mundo de oportunidades pode ser criado na sua loja, sempre com o intuito de resolver algo para esse público; imagine entrar numa farmácia que possui um carrinho com compartimento para a guarda do seu cãozinho? Ou ainda, uma seção muito bem sinalizada e com os produtos voltados a pratica de esportes? Não seria fantástico?

Guia para o gestor de farmácia aumentar seus resultados 

Fonte e foto: diretor da Desenvolva Consultoria, Marcelo Cristian

 

*Conteúdo exclusivo do Guia da Farmácia. Ao reproduzir, colocar a fonte e o link para o texto original.

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário