Abrafarma apresenta dados inéditos para o futuro das redes

As farmácias estão entrando em uma nova era, de mudanças rápidas provocadas pela Internet das Coisas, aplicativos, entre outras tecnologias

As 24 redes de farmácias e drogarias movimentaram R$ 22,78 bilhões no primeiro semestre desse ano, um crescimento de 7,54% sobre o mesmo período de 2017. O resultado permanece bem acima da média do varejo brasileiro, cuja alta foi de 3,1%, de acordo com o Boa Vista ASPC. Os dados são da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) e foram compilados pela Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP) e apresentados durante coletiva de imprensa, na abertura do Abrafarma Future Trends, que aconteceu na última semana, em São Paulo (SP). Embora representem 9,2% do total de 76 mil farmácias no País, as redes associadas à entidade concentram mais de 45% do faturamento do setor.

Os Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs) foram os principais responsáveis pelo resultado. Com faturamento superior a R$ 3,5 bilhões, essa categoria teve um avanço de 15,42% e representou 16% das vendas totais. Segundo informa o presidente executivo da Abrafarma, Sergio Mena Barreto, cerca de 60% dos pacientes recorrem a esses medicamentos sob orientação farmacêutica para gerenciar os sintomas do dia a dia. Os consumidores estão se tornando mais proativos em relação ao autocuidado com a saúde.

As farmácias estão entrando em uma nova era, de mudanças rápidas provocadas pela Internet das Coisas, aplicativos (apps), etc. O foco deve estar na velocidade e habilidade para mudar como fatores competitivos crucias para a manutenção dos negócios no presente e relevância no futuro. Há uma revolução da conectividade, são 240 milhões de celulares dos quais 138 milhões são usuários de smartphones. Sistemas inteligentes mudarão o mundo: 71% dos shoppers usarão múltiplos canais de compras. Em 2021, cada pessoas estará conectada a sete devices em média.

Algumas mudanças rápidas para se pensar:

  • Uso de imagens e cor.
  • Sensação de movimento.
  • Sensação de mais interação: a loja fala com o cliente (sem necessariamente utilizar mais gente).
  • Interação com a cidade, a cultura e o meio-ambiente.
  • Alinhamento com tendências, bem-estar, vida saudável.
  • Entrega de maior informação ao cliente.
  • Negócio de tijolo que se conecta ao virtual e vice-versa.
  • Investimento em Telesaúde.
  • Farmácia como parte do ecossistema de saúde e bem-estar.
Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário