Acne: conheça os tratamentos para casos pontuais ou severos

Opções variam de acordo com o grau e o tempo das espinhas

O tratamento de uma espinha isolada e um quadro severo de acne não deve ser feito da mesma forma, segundo explica o dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, Dr. Jardis Volpe. Isso porque substâncias que secam a pele em demasia, se aplicadas num quadro não tão severo de acne, pode causar efeito rebote. “Se retirarmos em demasia a oleosidade, a acne acaba voltando pior”, explica. O dermatologista explica, a seguir, o que fazer com a acne (dependendo do grau e do tempo de aparecimento da doença):

O que fazer com a espinha que surgiu uma hora antes da festa?

Se o paciente tem uma espinha isolada, daquelas internas ou vermelhas, sem a famosa coloração amarelada (nesse caso, chamada de pústulas), para uma emergência pode-se utilizar aplicação de gelo envolto em um tecido ou bolsas pequenas de gelo, por alguns minutos. O gelo é anti-inflamatório e faz desinchar a espinha rapidamente. Logo após, pode-se aplicar um creme com ácido salícilico ou peróxido de benzoíla. Vale, apenas, um alerta, em relação à soluções caseiras, como colírios para olhos vermelhos. Esses medicamentos contêm agentes vasoconstritores, que fecham os vasos, causando contração e melhorando a vermelhidão de uma espinha isolada. Contudo, esses agentes causam um efeito rebote grande, e a vermelhidão pode voltar mais forte e o efeito é temporário.

Depois de um dia, como tratar a acne?

Tratar a pele com produtos que contenham partículas esfoliantes, como aqueles com sementes de damasco, que são uniformes e não agridem tanto a pele, são uma boa opção. Logo após, pode-se fazer uso de um tônico adstringente com ativos secativos e bactericidas. Em seguida, recomenda-se a aplicação de um creme cicatrizante, que ajuda a reduzir a inflamação. Também pode-se fazer uso de um secativo com ácido salicílico ou peróxido de benzoíla para dormir.

Qual a recomendação para casos de acne que duram mais do que uma semana?

Nesses casos, vale a visita ao dermatologista, principalmente se o quadro se acentuar com surgimento de novas espinhas. Pode-se lavar a pele com sabonetes que contenham ácidos, como o glicólico ou salicílico, por exemplo; tonificar com um produto adstringente, com ativos bactericidas; e usar cremes que tratam a acne, com ativos como Acneol SR (ação seborreguladora, anti-inflamatória e cicatrizante), peróxido de benzoíla e ácido salicílico. Mas, por se tratarem de ácidos, vale a pena a recomendação de um dermatologista. A aplicação de lasers para desinflamar a pele também têm resultados eficientes ao reduzir a oleosidade.

Qual o risco de estourar a espinha?

Principalmente depois de uma semana, cabe um alerta importante às pessoas que querem se ver livres da espinha e decidem “estourá-la”: “Não é indicado espremer, pois piora a inflamação, aumentando o avermelhamento e dificultando a cicatrização, fazendo com que manchas e cicatrizes surjam. Para aquela espinha em que se vê um pontinho amarelo, uma dica é fazer uma compressa com gaze e chá verde morno na lesão por alguns minutos, três vezes ao dia, para facilitar com que a própria espinha drene naturalmente mais rápido. Na evolução da acne, pode-se usar, ainda, cápsulas de Fosfolipídeos de Caviar, para ajudar a controlar o processo de inflamação.

Quais os tratamentos para graus severos de acne?

Casos mais severos, com acometimento importante e múltiplas lesões persistentes, é necessário o uso de medicamentos via oral com antibióticos, corticoides e anti-inflamatórios, para controlar a infecção e inflamação, receitados por dermatologista.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

Aché planeja medicamento para vitiligo em 2023

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

1 comentário

Deixe um comentário