Anvisa aprova inclusão da dose de reforço da Pfizer na bula

Dose de reforço é válida apenas para maiores de 18 anos após, pelo menos, seis meses do esquema vacinal completo

A área técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta quarta-feira (24), a inclusão da dose de reforço na bula da vacina da Pfizer (Comirnaty) em pessoas maiores de 18 anos.

No entanto, a administração do imunizante deve ser feita após, pelo menos, seis meses do esquema vacinal completo.

O pedido de alteração na bula foi feito pela farmacêutica em setembro.

Em contrapartida, a Anvisa informou que a Pfizer concordou em informar dados adicionais de eficácia, imunogenicidade (capacidade da vacina de gerar resposta imune) e segurança da dose de reforço.

A saber, a dose de reforço ficará restrita ao público maior de 18 anos.

“As doses de reforço não são recomendadas para os menores de 18 anos. As evidências disponíveis no momento apontam que o benefício da dose adicional pode ser pequeno para esse grupo”, afirmou a relatora e responsável pela Segunda Diretoria da Anvisa, Meiruze Freitas.

AstraZeneca, Janssen e CoronaVac

A agência também apresentou atualizações sobre doses de reforço das outras vacinas usadas no país.

  • AstraZeneca

A AstraZeneca entrou com pedido de alteração na bula para inclusão da dose de reforço homóloga (mesma vacina) em 17 de novembro. Ele prevê, contudo, a inclusão da dose adicional com pelo menos 6 meses de intervalo, após a administração da segunda dose.

De acordo com a Agência, o pedido segue em análise.

Todavia, a Anvisa afirmou que, “caso Ministério entenda que há necessidade de manter o programa de vacinação de reforço, que considere os elementos conhecidos e que considerem os estudos clínicos e adote um esquema HOMÓLOGO”

Atualmente, a bula da AstraZeneca prevê duas doses para imunização completa e não cita o reforço.

  • Janssen

A Janssen solicitou a inclusão de uma dose de reforço em 19 de novembro. O pedido, então, prevê a inclusão desta dose com pelo menos dois meses de intervalo, após a administração da dose única. Já a aplicação é para vacinação homóloga, para os maiores de 18 anos que receberam o imunizante da Janssen.

De acordo com a Anvisa, a fabricante também pediu aprovação para vacinação heteróloga (mista), com dose de reforço para quem recebeu a Pfizer no esquema primário.

O pedido segue em análise.

“Se o Ministério entender que há necessidade de manter o programa de vacinação de reforço, que considere os elementos conhecidos e que considerem os estudos clínicos e adote um esquema HOMÓLOGO”, disse a diretora e relatora, Meiruze Freitas.

  • CoronaVac

A Anvisa explicou que não há pedido de inclusão de dose de reforço na bula da CoronaVac. Em agosto, a agência solicitou ao Butantan informações sobre o andamento dos estudos que podem subsidiar doses de reforços ou revacinação.

De mesmo modo que para as demais vacinas, a Anvisa informou que caso o Ministério entenda que há necessidade de vacinação de reforço, que ela seja feita, então, com uma vacina heteróloga, preferencialmente, de RNA mensageiro.

Covid-19: Dados apontam eficácia a longo prazo da vacina da Pfizer em adolescentes

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário