Anvisa aprova novo medicamento em pílula única para tratamento de infecção pelo vírus HIV

Em testes clínicos, o medicamento para HIV, Biktarvy®, demonstrou eficácia, segurança e poucas interações com outros medicamentos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou a aprovação do medicamento Biktarvy® (bictegravir, entricitabina e tenofovir alafenamida), da Gilead Sciences, para tratamento de HIV em adultos e crianças com mais de seis anos e com peso corporal de pelo menos 25 kg. O paciente precisa tomar apenas um comprimido ao dia, com ou sem alimentos, para o tratamento da infecção pelo HIV.

O medicamento é composto por três substâncias ativas, contendo: um novo inibidor de integrase (INSTI) -o bictegravir; além de antirretrovirais de outras classes: entricitabina e tenofovir alafenamida (TAF). O TAF, que é utilizado em uma dosagem menor que o tenofovir (TDF), é mais permeável nas células e se concentra mais dentro delas. Portanto, sendo mais seguro que o tenofovir (TDF). Isso porque pode causar menos toxicidade renal e óssea.

“A aprovação do Biktarvy® significa um grande passo no tratamento do HIV no Brasil. Principalmente pela forma simples e eficiente com um único comprimido ao dia”, afirma a Diretora Médica da Gilead no Brasil, Dra. Rita Manzano Sarti.

A segurança e eficácia do Biktarvy® foi apoiada por dados obtidos através de quatro estudos clínicos de Fase 3 em adultos infectados com HIV-1 não tratados e em adultos infectados tratados. Além disso, no Brasil a aprovação também engloba a população pediátrica que é suportada por um outro estudo. Nenhum paciente descontinuou o uso do medicamento devido a eventos adversos renais. As reações adversas mais comuns foram diarreia, náusea e dor de cabeça.

Foto: Shutterstock

Fonte: Gilead Sciences

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário