Anvisa concede registro sanitário de novo medicamento para o tratamento de câncer de mama em estágio avançado

Trastuzumabe deruxtecana deve chegar ao mercado brasileiro no primeiro semestre de 2022

Os laboratórios Daiichi Sankyo e AstraZeneca estabeleceram uma parceria tecnológica para o desenvolvimento de tratamentos para tumores HER2+ , um novo remédio para tratar o câncer de mama em estágio, então, já avançado..

O trastuzumabe deruxtecana, que acaba de ser aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), representa um avanço da ciência no desenvolvimento de terapias-alvo, nas quais os fármacos são direcionados apenas às células cancerígenas.

Voltado ao tratamento de tumores HER2+, considerados mais agressivos e com tendência à metástase, o medicamento é um ADC (conjugado anticorpo-medicamento) injetável com indicação em monoterapia para o tratamento de adultos com câncer de mama HER2+ metastático ou não ressecável, que tenham recebido dois ou mais regimes de tratamento baseados em anti-HER2. ¹

ADC é a sigla em inglês para conjugado anticorpo-medicamento.

Portanto, é uma terapia alvo que usa um biomarcador como alvo para o tratamento.

Dessa maneira, é conhecida entre os médicos como uma estratégia “Cavalo de Tróia”.

Porque o anticorpo carrega com ele um fármaco que só vai ser ativado quando o anticorpo se ligar à célula cancerosa.

Como é o novo remédio para tratar o câncer de mama em estágio avançado

O tratamento com trastuzumabe deruxtecana consiste em aplicações a cada 3 semanas, até a progressão da doença ou toxicidade não manejável.

A infusão inicial é de 90 minutos, enquanto as subsequentes podem durar 30 minutos.

De acordo com o Global Cancer Observatory (GLOBOCAN), em 2020, o câncer de mama ultrapassou os tumores de pulmão.

E, portanto, se tornou o tipo de câncer mais incidente em todo o mundo.

Uma em cada 8 mulheres desenvolverá a doença durante a vida.

Já no caso dos pacientes com câncer de mama, cerca de 15% a 20% dos casos serão HER2+.

“O registro sanitário do medicamento no Brasil representa esperança para pacientes e familiares, visto que neste estágio, quando há progressão da doença as opções sequenciais de tratamento ficam limitadas. Com a aprovação no Brasil do trastuzumabe deruxtecana, ampliam-se as expectativas, com qualidade de vida e boa tolerância ao medicamento.”, explica a diretora de Assuntos Médicos da Daiichi Sankyo Brasil, Gabriela Prior.

Outubro Rosa: informações que toda mulher precisa ter sobre câncer de mama 

Fonte: Daiichi Sankyo

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário