Anvisa libera CoronaVac para crianças e jovens entre 6 e 17 anos

O Instituto Butantan já tem armazenado 10 milhões de doses prontas

A  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou hoje a liberação do uso da vacina contra a covid-19 CoronaVac em crianças e jovens de 6 a 17 anos. Por unanimidade, os cinco diretores do órgão votaram favoravelmente à aprovação durante videoconferência para avaliar um pedido para uso emergencial do imunizante feito pelo Instituto Butantan.

Inicialmente, o Butantan pediu autorização para vacinar crianças a partir de 3 anos.

No entanto, a Anvisa alegou falta de estudos suficientes que comprovem a eficácia para essa faixa de idade, e decidiu validar a aplicação da vacina da CoronaVac apenas em crianças com idade a partir de 6 anos.

Na prática, a faixa etária que pode ser vacinada no Brasil não muda, mas, com a aprovação da CoronaVac para crianças, haverá oferta maior de vacinas.

A saber, o Instituto Butantan já tem armazenado 10 milhões de doses prontas.

Até hoje, apenas a vacina da Pfizer estava liberada para crianças a partir de 5 anos.

Todavia, as doses vêm desembarcando no Brasil em remessas vindas do exterior em quantidade ainda insuficiente para imunizar todas as faixas de idade infantil.

Como será a vacina da CoronaVac para crianças e jovens? 

  • Mesma formulação aplicada em adultos.
  • Mesma dose adulta: 600 SU em 0,5 mL.
  • Duas doses no intervalo entre 2 e 4 semanas.
  • Faixa etária: 6 a 17 anos.
  • Não aplicar em crianças imunocomprometidas, ou seja, com baixa imunidade.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na última terça-feira que a CoronaVac para crianças seria incluída no plano nacional de imunização se fosse aprovada, mas a questão ainda será analisada pela pasta.

Logo após a aprovação, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que iniciaria “imediatamente a vacinação” no estado. “Esperamos imunizar toda garotada em, no máximo, 3 semanas”, escreveu em suas rede sociais.

Como foram os votos que aprovaram a CoronaVac para crianças

Responsável por estudar os documentos enviados pelo Instituto Butantan, a Gerencia-Geral de Medicamentos recomendou aos diretores da Anvisa a aprovação do uso da CoronaVac em crianças.

“A totalidade das evidências cientificas sugerem que há beneficio e segurança para uso na população pediátrica”, afirmou o gerente-geral de Medicamentos, Gustavo Mendes, que lembrou não haver “tratamentos medicamentosos aprovados para população abaixo de 12 anos”.

Antes de seu voto, a diretora e relatora do tema, Meiruze Sousa Freitas, lembrou, também, que a vacina aprovada da Pfizer “não está em quantidade suficiente para atender a demanda no primeiro trimestre: 20 milhões de crianças com duas doses”.

Sobre o voto, a relatora afirmou ter levado em consideração a avaliação dos setores técnicos da Anvisa e a opinião das sociedades médicas consultadas, que “permitiu a essa relatoria que, ressalvadas incertezas ainda existentes, os benefícios potenciais da CoronaVac superam os riscos potencias inerentes a essa vacina. Dessa forma, estou convicta de que ela atende aos critérios necessários para o uso emergencial pediátrico de 6 a 17 anos em crianças não imunocomprometidas.”

Histórico

O Butantan já havia tentado a liberação do imunizante para crianças em julho do ano passado.

Na ocasião, contudo, a Anvisa rejeitou o pedido, argumentando que ainda faltavam dados sobre a eficácia e a segurança da vacina para o público-alvo.

Em janeiro deste ano, a Anvisa passou a apreciar um segundo pedido do Butantan, a partir, então, de novas informações enviadas pelo instituto.

Na semana passada, então, técnicos da agência se reuniram com infectologistas e pesquisadores do Chile, país onde o imunizante já vem sendo aplicado em crianças.

Covid-19: pandemia não está nem perto do fim, adverte OMS 

Fonte: Uol

Foto: Shutterstock

.. –

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário