Anvisa recebe pedido do Butantan para teste em humanos de soro contra o coronavírus

O soro do plasma dos cavalos pode impedir que haja um agravamento dos sintomas da infecção, evitando que pessoas precisem de atendimento médico para se recuperar da doença

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou hoje (5) que recebeu o pedido do Instituto Butantan para iniciar os testes clínicos em humanos de um soro contra a Covid-19 desenvolvido a partir do plasma sanguíneo de cavalos. 

A instituição paulista vem estudando a alternativa desde o segundo semestre do ano passado.

O soro para a doença causada pela Covid-19 teria o mesmo objetivo de outros soros, como o antiofídico, contra picadas de serpentes.

Pelo qual, então, o Butantan é reconhecido nacionalmente por sua produção há mais de 100 anos.

O material forneceria anticorpos já produzidos pelos cavalos para que humanos conseguissem combater de maneira mais eficiente a Covid-19.

Na prática, o soro pode impedir que haja um agravamento dos sintomas da infecção, evitando assim que pessoas precisem de atendimento médico para se recuperar da doença.

Em análise

Apesar de ter comunicado o recebimento do pedido de autorização para realização do Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamento (DDCM), a Anvisa afirmou que ainda falta ao Butantan enviar o Dossiê Específico de Ensaio Clínico (DEEC), principal documento para a análise de estudos clínicos em humanos.

A saber, a Anvisa disse que os documentos apresentados pelo Butantan estão em análise pela área técnica da agência.

Atualmente, o plasma dos cavalos já é utilizado para fabricar outros soros como os peçonhentos (serpentes), artrópodes (aranhas), antitetânico, antirrábico e botulínico. 

Por que algumas pessoas pegam Covid-19 no intervalo entre a 1ª e a 2ª dose da vacina? 

Fonte: UOL

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário