Destaques & lançamentos

Aumento no consumo de vitaminas e suplementos alimentares veio para ficar

59% dos lares brasileiros possuem, no mínimo, uma pessoa consumindo suplementos. Um aumento de 10% em relação à pesquisa anterior, de 2015

No período entre março de 2020 e março de 2021, foram lançados cerca de 380 produtos na categoria vitaminas e minerais. A informação é do IQVIA e reflete, portanto, a mudança no comportamento do consumidor devido principalmente à pandemia.

Mais preocupadas com a saúde e cheias de limitações e restrições, as pessoas incorporaram suplementos alimentares no dia a dia.

De acordo com estudo do Allied Market Research, este consumidor tem mais de 40 anos, cuida da mente e do corpo, pratica atividades físicas, assume que o envelhecimento é um processo natural.

E também busca prevenção em vez de tratamento, e está consciente que as decisões que toma hoje, vão impactar no seu próprio futuro.

Consumo maior de vitaminas e suplementos alimentares

“A mudança no estilo de vida e o aumento com os cuidados preventivos relacionados à saúde fazem parte do perfil deste novo consumidor dos suplementos alimentares e das vitaminas”, explica o CEO da Nutriex, Leonardo Rezende.

Estimado em R﹩ 3,5 milhões, o mercado de suplementos vitamínicos no Brasil teve foi o grande impulsionador do crescimento do mercado farmacêutico em 2020.

Com crescimento de 47,8% em faturamento, de acordo com o IQVIA.

A procura por esses produtos sempre foi muito forte no país, mas se intensificou no último ano devido à pandemia.

Um estudo da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres (Abiad) feito no 1º trimestre de 2020 revelou que 59% dos lares brasileiros possuem, no mínimo, uma pessoa consumindo suplementos – aumento de 10% em relação à pesquisa anterior, de 2015.

São, portanto, 90% que já entendem que os suplementos alimentares são complementos da alimentação.

Importante dizer que 51% das recomendações de uso são feitas por profissionais de saúde.

Um estudo complementar focado no comportamento do consumidor durante a pandemia mostrou que 76% declararam ter feito mudanças nos cuidados com a saúde neste período.

Sendo, então, que 48% aumentaram o consumo de suplementos durante a quarentena.

A imunidade foi o principal motivo de 91% entrevistados, enquanto 42% disseram que as mudanças foram motivadas pela alimentação.

Uso contínuo

“Outra revelação positiva do estudo é que 70% dos que passaram a consumir suplementos na pandemia afirmaram que vão continuar definitivamente”, diz a gerente de Trade Marketing e Produto da Nutriex, Márcia Cezar.
“E essa é uma boa notícia porque suplementos alimentares corrigem ou suprem carências nutricionais que podem levar a problemas graves no futuro: no caso de mulheres gestantes, pode interferir no crescimento fetal, e em crianças, pode afetar o desenvolvimento cognitivo e resistência a infecções“, explica.
Doenças como sarampo, malária e infecções respiratórios inferiores podem ser causadas por desnutrição.
Fonte: Nutriex
Foto: Shutterstock
Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário