Bayer e Azitra exploram microbioma cutâneo humano na produção de produtos dermatológicos

O microbioma cutâneo tem papel fundamental na manutenção e restauração da pele humana

A Bayer e a empresa de biotecnologia dermatológica especializada em estudos clínicos, Azitra Inc., anunciam parceria para trabalhar na identificação e caracterização de bactérias encontradas no microbioma cutâneo. A colaboração vai utilizar o painel exclusivo de cepas de Staphylococcus epidermidis da Azitra para identificar potenciais candidatas para o tratamento de dermatoses.

Com base nos resultados da pesquisa, a Bayer deve usar cepas selecionadas de Staphylococcus epidermidis para desenvolver produtos dermatológicos naturais sob um futuro acordo de licenciamento. Entre as possibilidades estão a criação de medicamentos para pele sensível e com predisposição ao eczema, bem como produtos terapêuticos para combater a dermatite atópica e outros problemas de pele.

Publicações científicas recentes sugerem que bactérias, especialmente as que vivem na pele e formam o microbioma, podem contribuir significativamente para a proteção cutânea. Outros efeitos positivos incluem o apoio à recuperação da pele após dermatite atópica, acne, rosácea e outras dermatoses e a aceleração da cicatrização de feridas.

“O microbioma da pele pode ser uma plataforma promissora de desenvolvimento e comercialização de produtos dermatológicos naturais. A Bayer desenvolve pesquisas próprias e parcerias para desenvolver produtos com base científica comprovada; por isso, estamos muito contentes com a colaboração com a Azitra. A empresa já demonstrou a tolerabilidade de uma cepa selecionada de Staphylococcus epidermidis em voluntários saudáveis. Agora, planeja passar à etapa de demonstração clínica da eficácia”. Assim, diz o membro do conselho executivo da Bayer AG e presidente da Bayer Consumer Health, Heiko Schipper.

Identificação das bactérias do microbioma cutâneo

A Bayer vai contribuir para a pesquisa, fornecendo formulações tópicas para manter a viabilidade da Staphylococcus epidermidis nas demonstrações de compatibilidade e desempenho sensorial.

“Temos um forte compromisso com o potencial do microbioma e os benefícios para a saúde e aparência da pele. Com a parceria com a Bayer, tenho certeza de que chegaremos a excelentes resultados com essa tecnologia”, afirmou o presidente e CEO da Azitra, Richard Andrews.

A plataforma de tecnologias da Azitra também oferece outras opções de seleção de cepas para o tratamento de dermatoses, como dermatite atópica, acne e psoríase. Além disso, a Bayer vai analisar o uso das bactérias modificadas da Azitra em dermatologia e em outras áreas de autocuidado, como nutrição e saúde digestiva.

Foto: Shutterstock

Fonte: Azitra e Bayer

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário