PDV

Black Friday 2021: 3 dicas para as farmácias físicas aumentarem as vendas

O ideal é traçar estratégias diferentes a partir de hipóteses sobre o que pode acontecer até a data

Diante de incertezas causadas pela pandemia e pelas instabilidades econômica e política no Brasil, flexibilidade deve ser a tônica da preparação do pequeno e médio varejo físico para a Black Friday deste ano.

O presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), Eduardo Terra, diz que o ideal é traçar estratégias diferentes a partir de hipóteses sobre o que pode acontecer até a data:

1. Dentre as dicas para uma Black Friday com sucesso é fazer diferentes planos

“A recomendação que tenho dado a empresários é “tenha planos A, B e C”. Não dá para apostar em um único cenário”.

Apesar do avanço da vacinação contra a Covid-19, o especialista afirma que é cedo para prever se o desempenho das lojas físicas na Black Friday 2021 será melhor do que em 2020, quando a retração nas vendas foi de 25,5% ante 2019, de acordo com o Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA).

2. Reveja o estoque

Outros fatores são críticos para o setor: o crédito está mais caro, devido à alta dos juros; a inflação disparou, o que diminui o poder de compra das pessoas; e a confiança do consumidor anda baixa.

Além disso, fazer estoque ainda é problemático, já que a oferta de alguns suprimentos continua irregular.

“O lojista deve acompanhar o que está acontecendo e ser flexível e ágil para aumentar sua compra e ter mais equipe caso necessário”, indica Terra.

Rever o planejamento semanalmente é o mais aconselhável: com essa frequência, a tendência é, portanto, que as mudanças não precisem ser radicais.

“Não é virar do avesso, mas fazer ajustes incrementais”, completa.

3. Seja parceiro dos fornecedores

“Na crise de abastecimento, a indústria talvez não tenha produtos para atender todos e vai privilegiar os clientes mais importantes e fiéis — destaca.

Mesmo quem não tem e-commerce deve manter presença no digital, para captar o público por meio de aplicativos de mensagens e mídias sociais.

Dessa maneira, a transparência com o consumidor também é essencial para o varejista que visa melhorar a performance na Black Friday.

Ou seja: nada de aumentar os preços antes da data para reduzi-los depois e alegar que estão com desconto.

“Ninguém quer pegadinhas. Seja qual for a estratégia adotada, ela deve ser autêntica e verdadeira” .

Estudo da GfK mostra que 79% dos consumidores pretendem fazer compras no período da Black Friday 

Fonte: O Globo

Foto: Shutterstock

 

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário