Brasil ultrapassa 250 mil mortes pela Covid-19

Cidades e estados estão adotando novas medidas de lockdown para frear o crescimento de casos da Covid-19 e evitar novos colapsos no sistema de saúde

Na véspera da pandemia da Covid-19 completar um ano no Brasil, o país ultrapassou a marca de 250 mil mortes.

A primeira morte em decorrência da doença ocorreu em 12 de março de 2020.

Três meses depois, em 12 de junho de 2020, o país tornava-se o segundo do mundo com maior número de mortes pela pandemia.

Ficando, então, atrás apenas dos EUA, posição que mantém até hoje.

No dia 8 de agosto, o Brasil bateu a marca dos 100 mil óbitos e, em 7 de janeiro de 2021, atingiu 200 mil. Agora, após 48 dias, chega a 250 mil.

O país registrou, até ontem (24), 1.390 novos óbitos, totalizando 250.036 vítimas.

Também foram vistos 63.383 novos casos, chegando a 10.324.004 desde o início da pandemia.

Mortes por Covid-19 no Brasil

A média móvel de óbitos por Covid-19 é de 1.123, está acima de mil há 34 dias, desde 21 de janeiro.

Trata-se de uma prova de que o país vive seu pior momento no combate à pandemia.

Já que, no ano passado, o maior período com média móvel de óbitos superior a mil ocorreu durou 31 dias, entre 3 de julho e 2 de agosto.

Cálculo estatístico

A “média móvel de 7 dias” faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é, então, comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes.

Assim, o cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído” causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Disseminação da Covid-19

De acordo com o epidemiologista Paulo Lotufo, a disseminação da Covid-19 tornou-se “descontrolada”, então, no segundo semestre do ano passado.

À época, os governos estaduais cederam à pressão provocada pelos candidatos nas eleições municipais.

Que julgaram que restrições como o isolamento social eram impopulares e poderiam custar votos.

O número de infecções e óbitos também aumentou no início de janeiro, um resultado da desobiedência da população às recomendações de distanciamento durante as festas de Natal e Ano Novo.

Lockdown

Cidades e estados estão adotando novas medidas de lockdown para frear o crescimento de casos da Covid-19.

E, assim, evitar novos colapsos no sistema de saúde.

Toques de recolher e restrições de circulação em alguns horários, fechamento do comércio de atividades não essenciais e proibição de acesso a parques e praias são, portanto, algumas das medidas adotadas pelas autoridades.

O estado de São Paulo vai aumentar a fiscalização sobre a circulação de pessoas todas as noites a partir desta sexta-feira.

Novas restrições

Ao anunciar a medida, motivada pelo aumento de internações e a preocupação com o surgimento de novas variantes do coronavírus, o governador João Doria negou o termo “lockdown”.

Mas reconheceu que os paulistas estão em “toque de restrição”.

Atividades em locais públicos durante o fim da noite e a madrugada já foram adotadas, desde a semana passada, em Pernambuco, Paraíba, Bahia e Rio Grande do Sul.

Fonte: Globo

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário