Brasileiros estão cuidando mais da pele desde o início da pandemia

De acordo com a Abihpec os produtos voltados aos cuidados com a pele registraram crescimento de 161,7% nas vendas durante os dez primeiros meses de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019

O período da pandemia mudou até a forma como lidamos com os cuidados com o corpo e com a pele.

Hoje em dia os principais impulsionadores da indústria de cosméticos são aqueles relacionados aos cuidados com a pele, o que mostra também uma maior preocupação da população com a saúde.

De acordo com números da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), os produtos voltados aos cuidados com a pele registraram crescimento de 161,7% nas vendas durante os dez primeiros meses de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019.

Certamente, o período foi fortemente marcado pelo isolamento social.

Passando mais tempo em casa do que fora dela, o tempo que era gasto com escolha de roupas, arrumação do cabelo, maquiagem e outros processos.

Acabou, então, ficando livre para a realização das rotinas de skincare.

Vendas

Considerando todo o ano de 2020, o crescimento nas vendas dos produtos para skincare foi de 21,9%.

Dessa maneira, a maior alta foi registrada pelos esfoliantes corporais (153,2%), seguidos pelas máscaras para tratamento facial (91%).

No entanto, há alguns anos os produtos da categoria já registram bons índices de crescimento.

A rotina de cuidados com a pele foi impulsionada pelas redes sociais através de vários influenciadores digitais que se tornaram especialistas no tema, divulgando os próprios hábitos de skincare, os produtos usados e até as receitas caseiras feitas para melhorar a saúde e a beleza da pele.

Novidade

A tendência abriu espaço para diversos tipos de produtos, como por exemplo, os suplementos de colágeno para a pele, que contém os nutrientes adequados para a manutenção da saúde dermatológica.

E também os óleos capazes de combater os efeitos que o estresse causa no órgão.

Aliás, o fato de o estresse ser aliado do envelhecimento precoce é mais um dos motivos pelos quais tais produtos fizeram tanto sucesso durante a pandemia.

Além do estresse, várias outras marcas do “novo normal” também ajudaram a impulsionar a consolidação da rotina de cuidados.

O álcool em gel nas mãos e a quantidade elevada de lavagens podem deixar a pele mais ressecada que o comum, exigindo, então, uma maior atenção à hidratação.

E também o uso constante de máscaras pode facilitar o surgimento de espinhas na região do rosto – o que ajuda a explicar o aumento vertiginoso nas vendas das máscaras para tratamento facial.

Problemas

A própria Covid-19 pode causar sintomas na pele.

Em alguns casos, foram observadas erupções e manchas ligadas à inflamação provocada pela doença.

A vermelhidão e a irritação também podem estar ligadas à reação do organismo quando contraí o vírus.

Mercado de beleza cresce e foca no consumo de produtos home care 

Fonte: Tribuna do Sertão

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário