Brasileiros não têm conhecimento sobre diabetes

Pesquisa revela que mitos são considerados verdadeiros para diabéticos

Apesar de estar ligado às doenças cardiovasculares, o diabetes ainda causa dúvidas para os brasileiros. A maior parte da população ainda desconhece conceitos básicos sobre a doença, especialmente relacionados às complicações cardiovasculares, de acordo com a pesquisa “Diabetes: o que os brasileiros sabem e não sabem sobre a doença”, realizada pela Abril Inteligência com apoio da AstraZeneca e do Curso Endodebate.

A população, em geral, relaciona o diabetes com problemas de visão e amputação. Somente 43% dos diabéticos e 27% dos não diabéticos acreditam que a doença pode ter relação com a incidência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O levantamento mostra, ainda, que alguns mitos são vistos como corretos: 50% dos diabéticos acreditam que a doença é hereditária e 35% crêem que o diabetes é uma doença emocional, ligada ao estresse. O mito de que diabéticos nunca mais podem comer açúcar é considerado verdadeiro para 31% daqueles que possuem a doença e para 26% dos não diabéticos.

Para o Dr. Carlos Eduardo Barra Couri, endocrinologista pesquisador da USP e médico responsável pela pesquisa, os dados relevam resultados preocupantes. “O desconhecimento do paciente com relação às complicações da doença é real e precisa ser combatido em diversas frentes. Possibilitar que o paciente alcance a meta glicêmica ideal, o mais rápido possível, após o diagnóstico é essencial para diminuir o risco de complicações futuras, e para isso o paciente precisa estar empoderado e informado sobre os impactos do diabetes mal controlado”.

O estudo revelou que o brasileiro entende a importância da adoção de hábitos saudáveis para o controle do diabetes. Porém, somente 58% dos diabéticos afirmam ter uma alimentação balanceada e apenas 23% afirmaram praticar atividade física de três a quatro vezes por semana.

Fonte: Assessoria de Imprensa AstraZeneca (BM)
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário