Brasileiros retomam gastos com Higiene & Beleza

Estudo da Nielsen mostra que 74% das categorias da cesta registraram alta em valor

Apesar de já ter enfrentado o pior da recessão, o consumidor da indústria de Higiene & Beleza (H&B) deve manter muitos dos hábitos de quem foi forçado a racionalizar a cesta de compras durante o período de crise econômica, principalmente de 2015 a 2017. Mas ele também aprendeu a priorizar certas categorias em detrimento de outras para manter o equilíbrio do seu orçamento. É o que apresenta o estudo “As novas escolhas do consumidor”, desenvolvido pela Nielsen.

Uma das estratégias utilizadas pelo consumidor para poupar com produtos do setor de Higiene & Beleza foi ampliar o número de canais visitados para fazer suas compras. Dados da análise apontam que 78% dos lares chegam a visitar mais de dois canais, sendo eles majoritariamente compostos por atacarejos, farmácias e supermercados. “A mixidade nestas indústrias é puxada tanto pelo canal farma-cosmético, no qual o consumidor pode ter uma experiência de compra diferenciada – mais personalizada; quanto pelo atacarejo, que continua em expansão no País pelo custo-benefício’’, afirma a líder da Indústria de Higiene & Beleza (H&B) da Nielsen Brasil, Margareth Utimura.

Prioridades do consumidor

A análise indica que o cenário já é positivo para a maioria das categorias que compõem a cesta de Higiene & Beleza, sendo que 74% delas já registraram crescimento em vendas valor; e 52% em tíquete médio. Para entender como os consumidores estão priorizando suas compras, o estudo dividiu as categorias em três grandes grupos, considerando o desempenho delas no mercado:

“Não tá fácil pra ninguém”: é composto por itens que contribuem negativamente para a performance da cesta de Higiene & Beleza. Entre eles: papel higiênico, tintura de cabelo, fraldas descartáveis, maquiagem e repelente. Esse grupo de produtos foi o único que demonstrou queda em vendas valor. Eles foram os eleitos pelos compradores para “economizar” por meio da compra de embalagens maiores e marcas de baixo preço, investindo, assim, em outras categorias que consideram prioritárias. Segundo o levantamento, a variação de valor apresentada foi de -3,3%.

“Eu mereço o melhor”: é composto por itens que contribuem positivamente para a performance da cesta de Higiene & Beleza e aumentam tíquete médio. Entre eles, xampu, pós-xampu, escova, creme dental e preservativo – com aumento de tíquete médio e crescimento em valor de 3,1%. É nessas categorias que os compradores gastam aquilo que foi economizado nos demais grupos de itens, permitindo algumas indulgências por meio de produtos ou marcas premium.

“Me ajuda a te ajudar”: contempla itens como antisséptico bucal, desodorantes, produtos de higiene íntima, sabonetes, etc. Teve crescimento nos mesmos índices de 3%. Nestas categorias, as marcas de baixo preço e as líderes que apresentaram boas alternativas de desembolso se destacam, juntamente com os promopacks.

Fonte: Nielsen Brasil

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário