Cade declara venda de ativos da Sanofi para Hypera como “complexa” e pede novas informações

Órgão disse que a análise feita mostra concentrações elevadas em setores dos mercados de laxantes, estimulantes e de descongestionantes nasais de venda sob prescrição médica

De acordo com o Diário Oficial da União (DOU) nesta última segunda-feira (20), a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) declarou “complexa” a compra de ativos da francesa Sanofi pela Hypera.

O negócio anunciado em julho inclui, no segmento de consumer health no Brasil, o analgésico AAS, o fitoterápico Naturetti e o antisséptico Cepacol.

Além dos medicamentos de prescrição Buclina, para estímulo do apetite.

E também o Hidantal, indicado para tratamento de epilepsia, entre outros.

De acordo com a Hypera, o Brasil representou aproximadamente 67% da receita líquida desse portfólio em 2020.

Em nota técnica, o órgão disse que a análise feita mostra concentrações elevadas em setores dos mercados de laxantes, estimulantes e de descongestionantes nasais de venda sob prescrição médica.

O Cade requisitou novas informações com prazo de 30 dias e reiterou que, se for preciso, o caso pode ser decidido pelo Tribunal do órgão.

Em novembro, a Hypera celebrou um contrato de venda com a Eurofarma para a venda do portfólio de produtos farmacêuticos isentos de prescrição (de venda livre) e de prescrição médica na Colômbia e no México.

Por volta das 10:26, as ações da Hypera (HYPE3) caíam 0,98%, cotadas a R$ 29,17 por papel.

Fonte: SpaceMoney

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário