CEO da Abrafarma destaca a importância do farmacêutico para a cadeia de saúde

No dia do farmacêutico, Sérgio Mena Barreto conta que acredita que os testes rápidos e a vacinação têm elevado potencial de crescimento para o ano

Conhecido por ser um mercado abrangente, as diferentes áreas e possibilidades de atuação do profissional farmacêutico vão desde a indústria até o varejo. Posições ligadas à pesquisa e desenvolvimento, principalmente com foco no lançamento de medicamentos e farmacovigilância, são as áreas mais comuns de atuação.

Para celebrar o dia do farmacêutico, que é comemorado hoje (20/01), preparamos uma entrevista exclusiva com o CEO da Associação Brasileira Redes Farmácias Drogaria (Abrafarma), Sérgio Mena Barreto.

Guia da Farmácia • Especialmente neste momento de pandemia, os farmacêuticos reforçaram ainda mais o papel das farmácias como prestadoras de serviços. Como essa realidade faz mudar, gradualmente, a realidade dos profissionais da área?

Sérgio Mena Barreto • O modelo de assistência farmacêutica avançada que concebemos em 2015 tem uma proposta que vai além de revitalizar o ponto de venda para transformá-lo em um hub de saúde. Entendemos que o projeto representa um empoderamento da classe farmacêutica. Afinal, são esses os profissionais mais próximos da população e que têm o poder de transformar a saúde no país por meio da atenção primária.

E ainda temos outra consequência positiva desse movimento, que é o incentivo à geração de empregos. Na contramão do mercado de trabalho, as 26 grandes redes associadas à entidade geraram mais de 8,2 mil novos empregos em 2021. Já temos mais de 142 mil funcionários e colaboradores no grande varejo, contra 133 mil de 2019. Isso é um claro reflexo da transformação das farmácias.

Guia •Até o momento, quais serviços estão liberados para as farmácias?

Mena Barreto • As redes contam com uma vasta oferta de atendimentos, o que inclui consultas, procedimentos como exames de glicemia e medição de pressão, vacinas, check-ups e testes rápidos para diagnóstico da Covid-19 e de doenças como dengue e zika. Nos três primeiros trimestres de 2021, as farmácias já realizaram mais de 7,1 milhões de atendimentos.

Guia • Ainda em 2022, espera-se a liberação de novos serviços para farmácias? Quais seriam eles?

Mena Barreto •  Acreditamos que os testes rápidos e a vacinação têm elevado potencial de crescimento para 2022. Esperamos que haja novidades.

Guia • Como os farmacêuticos devem se preparar para essa nova realidade?

Mena Barreto •  Plataformas educacionais, como as que a própria Abrafarma disponibiliza, são ferramentas importantes à disposição dos farmacêuticos, assim como a programação de roadshows que realizamos periodicamente. É fundamental que a categoria busque com frequência novos conhecimentos técnicos e comportamentais para atuarem como agentes de atenção primária

Guia • Até o momento, as redes associadas da Abrafarma contam com quantos consultórios farmacêuticos? O número de salas tende a aumentar em 2022?

Mena Barreto • Hoje, as redes mantêm mais de 4,3 mil salas clínicas e a tendência natural é de incremento desse número para 2022.

Guia • O que esperar para o futuro dos serviços farmacêuticos no País?

Mena Barreto • Os serviços farmacêuticos representam uma realidade sem volta no país, especialmente após a pandemia, que reforçou a importância das farmácias como centros de assistência à saúde.

Guia • Qual a infraestrutura necessária para a farmácia prestar serviços farmacêuticos?

Mena Barreto • Há algumas exigências impostas pelas próprias autoridades regulatórias para habilitar a prestação desses serviços.

Guia • Além de transformar as farmácias num braço importante na saúde da população, os serviços farmacêuticos também podem ser positivos para os negócios? Como eles aumentam o fluxo e lucratividade das lojas?

Mena Barreto • O crescimento de 17% que obtivemos nos três primeiros trimestres do ano, o maior índice desde 2011, revela como os serviços farmacêuticos são relevantes nesse contexto

Guia • Neste dia do farmacêutico, qual a mensagem que você deixaria para os profissionais que atuam ou pretendem atuar no varejo farmacêutico?

Mena Barreto • Os farmacêuticos têm um horizonte amplo para crescer na carreira e valorizar seu papel perante a população. Quem entender esse momento e tiver disposição para assimilar novos conhecimentos terá um caminho promissor pela frente. Vocês são e serão os grandes agentes de transformação da saúde brasileira.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Abrafarma

*Conteúdo exclusivo do Guia da Farmácia. Ao reproduzir, colocar a fonte e o link para o texto original.

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário