Destaques & lançamentos

CFF aprova resolução que regulamenta a telefarmácia

A resolução foi amplamente discutida e tem foco na farmácia clínica, não abrangendo atos inerentes à responsabilidade técnica do farmacêutico pelo estabelecimento onde atua

Uma resolução há muito esperada por farmacêuticos que atuam no cuidado direto à saúde dos pacientes foi aprovada na tarde desta quinta-feira, 30/06, pelo Plenário do Conselho Federal de Farmácia (CFF), com maioria dos votos dos conselheiros federais presentes. A nova normativa, que deve ser publicada nos próximos dias, no Diário Oficial da União, regulamenta a prática da telefarmácia.

A resolução foi amplamente discutida e tem foco na farmácia clínica, não abrangendo atos inerentes à responsabilidade técnica do farmacêutico pelo estabelecimento onde atua, como por exemplo, a dispensação de medicamentos. Essas atividades continuam obrigatoriamente presenciais.

A assessora da Presidência do CFF, Josélia Frade, destacou que esse é um momento histórico. “Era um anseio dos colegas e trabalhamos exaustivamente e com muito cuidado, em cooperação com uma equipe altamente qualificada, para a produção desse texto”, salientou. O presidente do CFF, Walter Jorge João, destacou “o compromisso do conselho em uma regulamentação que priorize o bem-estar dos pacientes e facilite o seu acesso ao cuidado farmacêutico, preservando a autoridade técnica soberana desse profissional dentro do estabelecimento de saúde onde atua”.

Resolução sobre telefarmácia

Para os farmacêuticos Agnes Gossenheimer e Mário Rezende, a resolução será extremamente benéfica para favorecer o contato com o paciente. “Temos pacientes acamados, com dificuldade de locomoção ou que moram em localidades distantes, que muitas vezes não conseguem ir até a unidade de saúde”, destaca Agnes Gossenheimer, que atua na rede pública. Ela destaca que esses pacientes, especificamente, serão bastante favorecidos tendo a tecnologia como aliada para a continuidade do acompanhamento dos seus tratamentos.

Mário Rezende, farmacêutico piauiense, vê como maior vantagem o acesso. “Recebo mensagens todos os dias, de pessoas que residem em locais distantes e que gostariam de se consultar comigo e não conseguem, ou porque o deslocamento é caro, ou porque não conseguem estar na farmácia em meu horário de trabalho”, comenta ele, que atua em consultório farmacêutico em uma farmácia de manipulação.

Foto: Shutterstock

Fonte: CFF

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário