Cientistas brasileiros descobrem nova linhagem do coronavírus no Rio de Janeiro

A nova linhagem coronavírus é caracterizada pela presença de cinco mutações. No entanto, não há indícios de que essa cepa ofereça algum tipo de resistência às vacinas da Covid-19

Uma pesquisa coordenada por cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Laboratório Nacional de Ciência da Computação (LNCC) identificou uma nova linhagem do Sars-Cov-2 em amostras de pacientes no Rio de Janeiro.

Essa nova linhagem se originou da B.1.1.28 e é caracterizada pela presença de cinco mutações.

A pesquisa, no entanto, ainda não foi publicada em nenhuma revista científica.

Mas está em avaliação no medRvix, que concentra estudos que ainda precisam ser revisados.

O estudo não afirma, entretanto, se essa nova linhagem do coronavírus é mais agressiva ou mais contagiosa que as outras.

Também não há indícios de que essa cepa ofereça algum tipo de resistência às vacinas da Covid-19.

Nova linhagem do coronavírus

“Salientamos que não há motivo para pânico. Vírus estão sujeitos a mutações. A identificação dessa linhagem mostra que devemos intensificar a testagem e a vigilância genética. A descoberta também evidencia a importância das medidas de distanciamento social e o uso de máscara”, disse um dos cientistas envolvidos, Amilcar Tanuri.

Os pesquisadores afirmam ter sequenciado 180 novos genomas virais obtidos em diferentes municípios do Rio de Janeiro, de abril a novembro de 2020.

Essa nova linhagem surgiu em julho e foi detectada em outubro, de acordo com a pesquisa.

“Não temos evidências de que essa mutação represente um perigo maior. Mas ela mostra que o coronavírus circula com intensidade no estado, que as medidas de distanciamento social e a vigilância são fundamentais“, explica coordenadora do LNCC,  Ana Tereza Vasconcelos.

Mutação já foi identificada em outros países

O Reino Unido sofre com uma mutação do vírus.

No último sábado (19), o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, declarou que, segundo os primeiros dados, o vírus que circula em Londres e no sudeste da Inglaterra é até 70% mais contagioso que a cepa anterior.

No entanto, o governo britânico também decidiu confinar novamente Londres e o sudeste da Inglaterra a partir do próximo domingo (27).

O objetivo é tentar, então, conter o aumento de contágios atribuído a nova cepa.

Por causa da mutação e do aumento dos riscos, autoridades da Itália, Bélgica e Holanda suspenderam voos provenientes do Reino Unido.

Além disso, Alemanha e França já avaliam banir a entrada de pessoas que venham do país.

Nos EUA, por exemplo, o epidemiologista Antonio Fauci, uma das principais autoridades do país no assunto, afirmou que já considera a possibilidade de a nova cepa do coronavírus reportada no Reino Unido estar circulando nos EUA .

No entanto, apesar disso, não é possível afirmar que a cepa que foi descoberta no Rio de Janeiro seria a mesma que estaria circulando no Reino Unido.

Fonte: UOL

Foto: Shutterstock

 

 

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário