fbpx

Cólica infantil: o que fazer para aliviar?

As cólicas infantis atormentam os pais e os bebês. Saiba como preveni-las e tratá-las

Introdução

Para desespero dos pais, quase todos os bebês, em algum momento, têm as temidas cólicas.  Às vezes, confundidas com irritações sem motivo, elas são caracterizadas por períodos prolongados de choro contínuo em que nada parece acalmar o bebê.

Apesar de não serem algo grave, as cólicas assustam, tiram o sono dos pais e atormentam os pequenos. Contudo, algumas estratégias simples podem ajudar a amenizar as dores das cólicas e a diminuir essas crises.

Veja o que é possível fazer para evitar crises de cólica e o como diminuir o sofrimento do bebê quando elas acontecerem.

 O que é cólica?

Podendo ser definida por choro intenso e alto, por horas e/ou dias seguidos, sem nenhuma razão aparente, as cólicas são desafios para os pais.

Elas podem começar desde a primeira semana de vida e ocorrer em qualquer momento do dia ou da noite.

De acordo com a subsidiária Portuguesa da multinacional farmacêutica Recordati SPA, Jaba Recordati S.A., “O termo clínico refere-se a uma condição de choro inconsolável, agitação e irritabilidade num bebé saudável durante os três primeiros meses de vida. A cólica ocorre geralmente durante o período da noite, mas pode também surgir em outros momentos do dia”.

Meninos e meninas, que amamentam ou consomem fórmulas, podem ter cólicas e elas costumam acontecer até os seis meses de vida.

O que causa cólicas infantis e nos bebês?

Não existem explicações do porque alguns bebês têm cólicas e outros não. Porém, algumas suposições são que alguns bebês nascem com os sistemas gastrintestinal e nervoso central imaturos ou mais sensíveis. Desse modo, como o processo de formação desses sistemas ainda não está completo, ocorrem movimentos intestinais que provocam gases e as dores das cólicas.

Contudo, ao completar três meses, esses mecanismos costumam atingir a maturidade e o bebê deixa de ter tais dores.

Além disso, alguns pediatras afirmam que o estresse e a ansiedade dos pais podem ser sentidos pelo bebê, causando cólicas como reação a esses estímulos externos. Desse modo, é recomendado que o sono do bebê seja respeitado e que se conserve uma atmosfera calma ao redor do recém-nascido.

Quando começam as cólicas em recém-nascidos?

As cólicas normalmente começam entre a primeira e a segunda semana de vida do bebê. Contudo, cada organismo funciona de um jeito e muitos bebês podem, inclusive, não ter cólicas.

Elas costumam atormentar os pais e os bebês até os três meses de vida, podendo se prolongar.

cólica em recém nascido

Cólica infantil: como evitar?

Para evitar cólicas infantis, pediatras recomendam:

  •         Amamentação materna exclusiva nos seis primeiros meses, pois o leite da mãe é digerido com maior facilidade, diminuindo a probabilidade do aparecimento de cólicas.
  •         Observar se o bebê tem constipação ou se faz muito esforço durante a evacuação. Um intestino com bom funcionamento diminui as chances de o bebê ter dores.
  •         Posicionar a boca do bebê da forma correta ao mamar para evitar a ingestão de ar e reduzir possíveis desconfortos.
  •         Massagear a barriga do bebê para aliviar possíveis desconfortos e exercitar suas perninhas, flexionando-as sobre o abdômen e movendo-as para cima e para baixo.
  •       Atenção a alimentação da mãe: falaremos sobre isso em outro tópico do texto, porém, algumas relações são feitas entre a alimentação da mãe e o aparecimento de cólicas no bebê. Alguns especialistas afirmam que alimentos como chocolate, cafeína e condimentos podem piorar os quadros de dor.

O que não fazer?

Algumas atitudes não são indicadas para tratar cólicas infantis. São elas:

  •         Amamentar: alguns pediatras orientam a mãe a amamentar o bebê durante as crises de cólica, porém, outros especialistas afirmam que o movimento de sucção pode agravar as dores, pois estimula as contrações intestinais.
  •       Chás: de acordo com o Ministério da Saúde, é indicado que o bebê seja alimentado até os seis meses de idade apenas com o leite materno. Desse modo, não é indicado o consumo de chás, água e outras bebidas.
  •         Desmamar ou dar chupeta: as cólicas podem causar frustração e dificultar a amamentação. Porém, a amamentação é extremamente importante e o leite materno é o alimento melhor aceito pelo intestino dos bebês. Além disso, dar chupeta também não é uma boa opção porque pode facilitar o desmame antes da hora.  

Consulte seu médico para saber orientações específicas para a saúde e as cólicas do seu bebê.

Qual a frequência das cólicas e quanto tempo elas duram?

A duração de cada cólica varia de organismo para organismo e de cada situação. O bebê pode chorar com cólicas durante algumas horas ou por dias seguidos.

Entretanto, a frequência das cólicas é diferente para cada um. Consulte sempre seu pediatra para melhores orientações sobre a saúde do seu bebê.

Quando se preocupar / procurar um médico?

Se o choro persistir e nada ajudar, talvez seja a hora de procurar um médico.

É recomendado que se avalie se:

  •         Os lábios do bebê ficam com uma tonalidade azulada durante o choro.
  •          O bebê está perdendo peso ou vomitando repetidamente.
  •          Funcionamento do intestino (fezes e urina) mudar o ritmo.
  •         O bebê apresentar sangue nas fezes ou diarreia.

A cólica está relacionada aos alimentos consumidos pela mãe que amamenta?

Não existem estudos que comprovem tal relação. Porém, alguns pediatras afirmam que os alimentos consumidos pela mãe podem influenciar no aparecimento de cólicas no bebê.

Alguns alimentos considerados perigosos durante o período da amamentação são:

  •         Laticínios, como queijos, iogurtes e leite.
  •         Alimentos muito condimentados.
  •         Cafeína.
  •         Vegetais crucíferos, como brócolis, repolho e couve.
  •         Chocolate.
  •         Leguminosas, como lentilha, feijões, ervilhas e soja.
  •         Carnes vermelhas.

Contudo, o organismo de cada bebê é diferente e tais alimentos podem não causar cólicas no seu bebê. O ideal é que a mãe observe quais alimentos ela comeu nos dias que o bebê teve dores e gases.

alergia a proteína do leite causa cólicas?

A alergia à proteína do leite pode ser a causa da cólica?

O leite de vaca possui proteínas diferentes do leite materno. Desse modo, pode ocasionar uma reação adversa no organismo do bebê, como a formação de gases.

Assim, caso o bebê tenha alergia a proteína do leite de vaca, ele pode ter cólicas caso o consuma.  

Consulte seu médico para ter a orientação correta sobre o consumo de leite de vaca e sobre a melhor fórmula para as necessidades do seu bebê.

Como saber se o bebê está com cólica?

  •         Choro contínuo sem parar e sem motivo aparente.
  •         Barriga endurecida.
  •         O bebê se contorce e flexiona as pernas em direção ao abdômen.
  •         Gases e rosto avermelhado.
  •         Expressão de dor no rosto.
  •         Punhos e mãos fechados.

Como tratar cólicas em recém-nascidos?

Para tratar cólicas em recém-nascidos é importante manter a calma e dar colo e carinho ao bebê.

Confira outras dicas:

  • Pegue o bebê no colo, deite-o de bruços e o embale.
  • Use bolsas de água quente na barriga do bebê.
  • Evite amamentar durante as crises de dor. A sucção pode agravar as dores, pois estimula as contrações intestinais.
  • Massageie o abdômen do bebê com movimentos circulares usando óleos infantis. Isso acalma o bebê e aquece o local.  
  • Coloque a barriga do bebê em contato com o seu abdômen.
  • Faça exercícios com as pernas do bebê para aliviar as dores e liberar gases.
  • Caso seja necessário, use medicamentos com ingredientes naturais e aprovados por órgãos confiáveis como o Food and Drugs Administration (FDA) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Como saber se o bebê está com refluxo?

Diferente das cólicas, quando o bebê está com refluxo ele apresenta sinais como:

  •         Engasgo
  •         Vômitos constantes
  •         Sono agitado
  •         Dificuldade para mamar
  •         Tosse excessiva
  •         Recusa de alimentação
  •         Dificuldade para ganhar peso

Consulte seu médico para confirmar se o seu bebê possui refluxo e como tratá-lo.

cólica em bebês 

O que pode ser feito em casa para aliviar a cólica e acalmar o bebê?

  • Massageie a barriga do bebê com movimentos circulares usando óleos infantis.
  • Dê colo ao bebê e encoste a barriguinha dele no seu abdômen.
  • Dê um banho quente ou use bolsas de água quente.
  • Enrole o bebê no cueiro.
  • Segure o bebê de bruços, com a barriga apoiada no seu braço e caminhe enquanto o embala.
  • Caso essas dicas não funcionem, busque por orientação médica e por remédios fitoterápicos, com ingredientes naturais, que auxiliam nas dores das cólicas sem substâncias fortes ao bebê. 

Dicas para os pais lidarem com a cólica (fatores psicológicos)

Muitas vezes os pais se sentem frustrados ao tentar ajudar seus bebês com cólicas. Consulte algumas dicas para lidar melhor com as cólicas dos pequenos:

  • Respire fundo e se acalme: a culpa das cólicas não é dos pais e manter a calma é essencial para ajudar o bebê nesses momentos.
  • Deixe o ambiente com uma iluminação confortável e luzes indiretas para que a mãe, o pai e o bebê possam relaxar.
  • Peça e aceite ajuda dos amigos e da família, para que eles fiquem com o bebê durante períodos de tempo, proporcionando um descanso e um momento de cuidado para os pais.
  • Tente descansar e dormir o suficiente.
  • Converse com o médico e com outros pais para saber como lidar com sentimentos de frustração e cansaço.
  • Mantenha-se otimista e lembre-se que em breve as cólicas passarão.

Cólica em bebês de quatro meses

As cólicas costumam incomodar os bebês até os três meses de vida. Porém, muitas vezes elas continuam após esse período.

Isso não significa que tenha algo de errado com o bebê e cada organismo funciona de uma maneira diferente. Desse modo, consulte o médico do bebê para saber sobre a melhor forma de lidar com esse momento.

Cólica em bebês de seis meses

Alguns bebês continuam com cólicas até os seis meses de idade. Como visto anteriormente, a duração das cólicas varia de bebê para bebê e isso não significa que algum problema de saúde esteja ocorrendo.

Consulte seu médico e confira as dicas escritas neste artigo para saber as melhores formas de acalmar um bebê com cólicas.

Qual o melhor remédio para cólica infantil?

Os melhores remédios para cólica infantil são aqueles que atendem as necessidades do seu bebê e que estão de acordo com as orientações do pediatra.

Existem no mercado remédios que possuem fórmulas homeopáticas e ingredientes naturais, cuidadosamente selecionados e calculados para o uso em bebês. Eles atuam aliviando imediatamente os desconfortos causados por gases, cólicas ou indigestão. Assim, ajudando pais e bebês a enfrentar esse período.

Uma dica é verificar se o medicamento é listado e inspecionado pelo Food and Drug Administration (FDA) ou pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Consulte seu pediatra para melhor analisar as cólicas do seu bebê e como aliviá-las.

Conclusão

As cólicas acontecem em um quinto dos recém-nascidos e duram normalmente até os três ou quatro meses de vida.

Elas são caracterizadas por longos períodos de choro aparentemente sem motivo.

Contudo, as cólicas, que atormentam os bebês e os pais, podem ser aliviadas com atitudes como: dar colo, massagear a barriga do bebê com movimentos circulares usando óleos infantis, e se possível, manter o aleitamento materno como única fonte de alimentação até os seis meses de idade.

Além disso, remédios homeopáticos com ingredientes naturais podem ajudar a aliviar as cólicas do seu bebê, tornando essa fase do crescimento mais tranquila.

Fonte: Guia da Farmácia

Fotos: Shutterstock

 

Deixe um comentário