Como escolher o filtro solar de acordo com o tipo de pele

De fator de proteção a oleosidade, o cuidado com a pele tem que ser específico para cada pessoa

O cuidado com a pele, ou “skincare”, está em alta, e diversos cremes, esfoliantes e tônicos são vendidos às pessoas em busca da pele perfeita. Porém, um antigo item de cuidado com a pele é frequentemente esquecido: o protetor solar. Há quem deixe de lado o protetor por achar que só é necessário em idas à piscina e a praia, há quem acredite que seu uso acarretará espinhas, e há quem não goste do cheiro. Ambas as ideias são mitos: escolher o filtro solar ideal para seu tipo de pele é parte importante do skincare do dia a dia, e protege de doenças, como o câncer de pele.

O câncer de pele é a doença mais comum no País, tanto em homens quanto mulheres. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, 30 mil pessoas morreram no Brasil, entre os anos de 2009 e 2019. E, a exposição à radiação ultravioleta é o principal fator que desencadeia a doença. Para diminuir os riscos, é recomendado evitar exposição ao sol em horário de pico, entre as 10h e 16h, e aplicar diariamente o protetor solar.

A médica especializada em dermatologia, Dra. Ana Lívia Bagatini, explica a variedade de protetores que existem no mercado. “Existem dois tipos de protetores: os químicos e os físicos. Os físicos são mais indicados para crianças e pessoas com pele sensível, inclusive para quem tem alergia. Os químicos são os mais encontrados em farmácias”.

O protetor solar físico e químico apresentam o mesmo índice de proteção. O químico, porém, é absorvido na pele. Assim, reagindo com a radiação solar e transformando-a em radiação de baixa energia. Já o físico, por não ser fundido com a pele, reflete a radiação, e é recomendado para pessoas com pele sensível, alergias e gestantes.

Como escolher seu filtro solar?

Para saber qual é a opção mais indicada para seu tipo de pele, é indicado olhar a fórmula utilizada. Pessoas com a pele oleosa devem escolher produtos com gel, gel creme, oil free e oil control. Já quem possui pele seca, deve procurar cremes e sérum. Protetores corporais, embora não apresentem diferença no fator proteção, são mais oleosos que protetores específicos para o rosto, consequentemente podendo levar ao quadro de acne. Dessa maneira, é indicado que se compre um protetor solar específico para o rosto.

Para aliar proteção com cuidados com a aparência, existem protetores com tonalidade que servem como base para a maquiagem. “Eu os considero até mais eficiente, pois a base faz o que chamamos de barreira física, que seria mais uma barreira de proteção contra a radiação e principalmente contra infravermelho e luz visível, como luz de casa, computador e celular”, explica a Dra. Ana Lívia. É importante lembrar que a radiação não se faz presente apenas no contato direto com a luz solar, por isso, o uso do protetor constantemente é indispensável.

O uso correto também é importante: o ideal é que o fator seja no mínimo Fator de Proteção Solar 30, bem como que seja reaplicado a cada 2 horas. Caso haja exposição direta, suor excessivo ou contato com água, deve-se reaplicar o protetor imediatamente.

Oito erros quanto ao uso de protetor solar
 

Foto: Shutterstock

Fonte: Dra. Ana Lívia Bagatini

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário