fbpx

Como identificar a candidíase? Veja 5 dicas

Pesquisa encomendada pela Bayer, revelou que 52% das mulheres brasileiras já tiveram candidíase ao menos uma vez

Uma pesquisa do IBOPE, encomendada pela Bayer, revelou que 52% das mulheres brasileiras já tiveram candidíase ao menos uma vez.

A doença é causada pelo fungo Candida Albicans que faz parte da flora vaginal saudável e pode ser encontrado no organismo feminino, naturalmente, em pequena quantidade.

Em situações de estresse, baixa imunidade ou outras condições que possam deixar o organismo debilitado, esse fungo acaba, por tanto, por ser multiplicar de forma desordenada, ocasionando a infecção.

A vagina, por ser um local quente e úmido, se torna o ambiente perfeito para essa proliferação.

Como saber se é mesmo candidíase? 

 Os sintomas da doença podem, no entanto, variar de acordo com cada mulher.

No entanto, as características mais comuns incluem coceira vaginal incômoda, corrimento branco e espesso, ardência na região da vulva (parte externa da vagina) e inchaço dos lábios vaginais.

Há ainda casos em que ocorre ardência ao urinar e dor durante relações sexuais.

Estou com candidíase, e agora?

Atualmente existem tratamentos antifúngicos à base de Clotrimazol, que resolvem o problema com apenas uma aplicação de comprimido vaginal.

Eles podem ser comprados em farmácias sem a necessidade de prescrição médica.

Nesse caso é importante checar com um médico ginecologista, para se certificar do diagnóstico.

E o que fazer para prevenir a candidíase?

 Assim como fazer o tratamento, prevenir a candidíase também é muito simples.

Pequenas mudanças de comportamento, como por exemplo, evitar situações de estresse, diminuir o consumo de açúcar e praticar atividades físicas ajudam bastante,

Além disso, dormir por pelo menos 8 horas diárias, contribui muito para a saúde íntima feminina.

Outra recomendações: evitar o uso de produtos perfumados e de absorventes diários/internos na região íntima e dormir sem calcinha, mantém a vagina arejada, confortável e saudável.

Procurar ajuda médica

Falar sobre o assunto ainda é motivo de vergonha para muitas mulheres.

Todavia, para mudar essa realidade, Gino-Canesten, lançou um movimento que busca quebrar os tabus voltados à mulher e a relação com seu próprio corpo.

Com a hashtag #PPKSEMTABU, a marca visa, assim, desmistificar problemas comuns à maioria das mulheres, como a candidíase, estimulando o diálogo aberto e direto. 

Foto: Shutterstock

Fonte: Bayer

Deixe um comentário