Consumo de medicamentos por paulistas é de uma caixa e meia por mês

Medicamentos para tensão e problemas cardíacos lideram as prescrições

O consumo de medicamentos, de janeiro e novembro de 2018, no estado de São Paulo, entre os 85.071 beneficiários de programas empresariais de assistência farmacêutica, atingiu 1.399.590 unidades, o equivalente a 1,5 caixa por paciente por mês. O número está abaixo da média nacional, de 2,6 caixas. É o que aponta um levantamento da ePharma, empresa pioneira no gerenciamento de programas de benefícios de medicamentos (PBM) no Brasil.

Do total de medicamentos considerados na pesquisa, o maior grupo – 245.074 ou 17,5% – é voltado para tratamento do sistema nervoso. Aqueles voltados para o combate à pressão alta/problemas cardíacos (15,7%) e para problemas digestivos (14,3%) ocupam a segunda e terceira posição, respectivamente.

Ainda segundo o estudo, 55,16% correspondem ao consumo de medicamentos de prescrição (tarja vermelha); 18,44% referem-se a venda com retenção (há tarjas preta e tarjas vermelhas, como antibióticos); 12,83% são isentos de prescrição médica (MIPs) e 13,57% representam não medicamentos.

Entre os cinco medicamentos mais dispensados nas 2.884 farmácias pesquisadas, a lista é encabeçada pelo Puran T4 (reposição hormonal da tireoide), seguido pela Dipirona Sódica (genérico). Na terceira e quarta colocações figuram o Dorflex (indicado para dor de cabeça e muscular) e o Rivotril, tranquilizante de tarja preta. O quinto lugar fica para a Aspirina Prevent, para afinar o sangue, evitar infarto e melhorar circulação do sangue nas artérias.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

Conheça os laboratórios com programas de desconto

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário