Febrafar cria guia para ser utilizado em todas as farmácias

O guia foi pensado e elaborado a fim de diminuir os riscos associados à transmissão do novo coronavírus no ambiente de trabalho

A Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar) está realizando uma série de ações em relação ao novo coronavírus (COVID-19/SARS-COV-2), uma das mais importantes é a conscientização das farmácias associadas em relação ao risco de existente dentro no ambiente das lojas, com o desenvolvimento de um guia para as farmácias – Capacitação de Colaboradores COVID-19 / SARS-COV-2.

De acordo com a farmacêutica da Febrafar responsável pelo projeto, Nathalie Freitas, “esse guia foi pensado e elaborado com diversas colaborações dos profissionais a fim de diminuir os riscos associados à transmissão do novo coronavírus em nosso ambiente de trabalho, traçando planos e medidas de controle de acordo com as exigências dos órgãos oficiais”.

O presidente da Febrafar, Edison Tamascia complementa que “o mais importante nesse momento é manter as pessoas informadas sobre a doença. Assim, orientando-as sobre atitudes que, se adotadas de forma correta, podem reduzir a contaminação e trazer mais segurança à população”.

O guia Capacitação de Colaboradores COVID-19 / SARS-COV-2 já foi distribuído para todas as redes da Febrafar, para que repassassem para seus associados. O conteúdo também pode ser baixado por todas as farmácias por meio do link – https://www.febrafar.com.br/projeto_corona_3_v2/.

Veja algumas orientações que constam no manual para quem atende nas farmácias:

  • Lavar as mãos e unhas de maneira correta com água e sabão, não esquecendo dos polegares, dorso das mãos e punho;
  • Pode ser utilizado durante todo o dia o álcool em gel 70%;
  • Manter cabelos presos, barba feita ou aparada, unhas limpas e cortadas;
  • Higienizar as narinas com água ou soro fisiológico, pois as narinas se destacam como ambiente de acúmulo de vírus;
  • Cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou lenço quando tossir ou espirrar, eliminar imediatamente o lenço e higienizar as mãos;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência com álcool 70% ou hipoclorito de sódio 1%.

EPI’s recomendados:

  • Higiene das mãos com preparação alcoólica frequentemente;
  • Utilizar luvas de procedimento para evitar contato com itens de uso pessoal dos pacientes. O uso de luvas não substitui a higiene das mãos;
  • Aventais, jalecos ou uniformes;
  • Máscara descartável quando houver distância inferior à 1 metro do paciente. Apenas o uso de uma máscara pode ser insuficiente para proporcionar um nível adequado de proteção, por isso outras medidas igualmente relevantes devem ser adotadas conjuntamente, como a higiene das mãos e outras formas de prevenção e controle de infecções, para evitar a transmissão de humano para humano. Substitua as máscaras usadas por uma nova máscara limpa e seca assim que esta tornar-se úmida, não reutilize máscaras descartáveis.

O material também recomenda a criação de barreiras físicas, espaçamento de filas, sinalizações nas farmácias e se necessário limitação de acesso à lona, dentre outros pontos que são fundamentais para proteger todo esse grupo que luta pela saúde da população.

Foto: Shutterstock

Fonte: Febrafar

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário