Covid-19: Rio avalia dispensar o uso de máscara a partir de novembro

Quando 75% da população estiver com esquema vacinal completo, item será obrigatório somente em hospitais e transportes públicos

A cidade do Rio de Janeiro (RJ) avalia liberar a população do uso de máscara parcialmente em novembro, com o aumento gradual do número de cariocas totalmente vacinados contra a Covid-19.

O assunto veio à tona na entrevista coletiva da divulgação do 39° boletim epidemiológico do município, nesta sexta-feira.

Na ocasião, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que “está cada vez mais difícil manter a população usando máscara”, mas que ainda “não se pode abolir” a obrigatoriedade da proteção facial no Rio.

A dispensa do uso de máscara está prevista no calendário de reaberturas do município elaborado pelo Comitê Científico de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC), que se baseia não em datas, mas em níveis de cobertura vacinal.

De acordo com o cronograma, quando a população total do Rio atingir 75% de cobertura com as duas doses da vacina, a proteção facial passará, portanto, a ser exigida apenas em ambientes hospitalares e também transportes públicos.

No entanto, não há previsão de dispensa total do uso de máscara.

Com o ritmo da vacinação e a queda nos indicadores da pandemia, a prefeitura planeja uma progressiva volta ao “normal”.

Nesta sexta-feira, ao celebrar a volta do “passaporte da vacina” , o prefeito Eduardo Paes falou em “verão com hotéis lotados” em 2022.

De acordo o calendário do CEEC, as próximas flexibilizações devem, portanto, acontecer quando a população chegar a 65% de cobertura vacinal com as duas doses.
Nessa fase, boates e danceterias devem, então, reabrir para pessoas com esquema vacinal completo, a 50% da capacidade.
Já eventos ao ar livre poderão reunir até 1.000 pessoas, com uso obrigatório de máscara.
A Secretaria municipal de Saúde (SMS) prevê que a marca deve ser atingida entre os dias 15 e 20 deste mês.

Confira o calendário de reaberturas da cidade:

Primeira etapa (iniciada em 21 de setembro)

Deve se iniciar quando 50% da população com esquema vacinal completo:

1- Permissão de realização de eventos em locais abertos de até 500 pessoas;

2- Permissão de público em estádio com esquema vacinal completo, de todos os presentes, então, com 50% da capacidade do ambiente.

Segunda etapa

Quando 65% da população com esquema vacinal completo:

1- Permissão para realização de eventos em locais abertos, no entanto, com restrição de público até 1.000 pessoas com uso de máscaras obrigatório.

2- Abertura de danceterias, boates, casas de show e festas, em locais fechados somente para pessoas com esquema vacinal completo; e também com 50% da capacidade do ambiente.

3- Desobrigar o uso de máscaras em locais abertos sem aglomeração, mantendo, então, sua utilização obrigatória onde não se consiga manter o distanciamento.

Terceira etapa

Quando 75% da população com esquema vacinal completo:

1- Manutenção do uso de máscaras somente em ambientes hospitalares e transportes públicos.

2- Livre circulação, sem restrição de capacidade e distanciamento.

SP começa campanha de multivacinação de crianças e adolescente 

Fontes: Ig / O Globo

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário