Cristália aumenta receita em 25% com vendas de medicamentos para tratamento da Covid-19

O cofundador da companhia, Ogari de Castro Pacheco, disse que a pandemia gerou uma demanda extra de medicamentos fornecidos ao segmento hospitalar para o tratamento da Covid-19

19O faturamento do Laboratório Cristália subiu 25% em 2020, elevando para R$ 3 bilhões a receita da empresa com sede em Itapira.

O aumento na receita está diretamente ligado à pandemia, que gerou uma demanda extra de medicamentos – especialmente anestésicos – fornecidos, então, ao segmento hospitalar para o tratamento da Covid-19.

A informação é do próprio cofundador da companhia, Ogari de Castro Pacheco.

De acordo com ele, dos 30 medicamentos contidos no protocolo de atendimento em Unidades de Tratamento Intensivo  (UTI) para a doença, o Cristália fornece 24 produtos.

Assim, a venda ao segmento hospitalar foi responsável por 80% da receita da empresa no ano passado.

O executivo também revelou que a companhia está investindo R$ 73 milhões para ampliar sua capacidade produtiva de injetáveis em Itapira (SP).

Também foram contratadas mais 100 pessoas para suprir o aumento de demanda, intercalar os turnos e, assim, garantir o cumprimento das normas de segurança.

Receita hospitalar da Cristália ligada ao Covid-19

Pacheco enfatiza também que o Cristália foi capaz de atender clientes hospitalares na pandemia, antes da conclusão das obras de expansão, por manter estoque de medicamentos de, pelo menos, três meses.

“Essa é uma filosofia da empresa. Isso nos permitiu atender os hospitais no primeiro momento e, consequentemente, levou a esse crescimento na receita. Eu prefiro ter esse estoque maior do que ficar com pendências com clientes”, disse.

Dessa maneira, agora, por causa da demanda ainda crescente, a empresa, vem ainda fazendo uma gestão mais “apertada” do estoque – o giro é de até dois meses, dependendo do produto.

“Para atender a todos, fracionamos as entregas. Mas, estamos tentando manter o nível de estoque regulador, de três meses”, comentou o empresário.

Exportações

A saber, o Cristália também segurou um pouco as exportações em razão da crise sanitária.

Então, em 2020, as vendas externas somaram US$ 4,8 milhões, contra US$ 7,8 milhões no ano anterior.

“Estamos vivendo um regime de exceção. Não podemos vender produtos essenciais no tratamento da doença a outros mercados. Tem os que atender a demanda interna e depois outros países”, salientou Pacheco.

Contudo, a pandemia também fez com que a empresa adiasse o lançamento de novos produtos no mercado nacional.

De acordo com Pacheco, a empresa deveria, todavia, apresentar um medicamento para lesões agudas da medula espinhal neste ano.

“Os estudos clínicos estão concluídos. É inovador e não há no mercado mundial. Em lesões recentes os resultados são promissores”, afirmou.

Cristália conquista 114ª patente com insumo farmacêutico para tratamento de tumor cerebral 

Fonte: Itapira News

Foto: Coluna Cleber Toledo

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário