Cristália conquista 114ª patente com insumo farmacêutico para tratamento de tumor cerebral

Laboratório criou processo exclusivo para produção de Temozolomida com maior eficiência e sem risco de dano ambiental

O Laboratório Cristália anuncia a conquista de sua 114ª patente, mais um recorde da indústria nacional. A nova patente do laboratório foi concedida nos Estados Unidos, com o número US 10865209.

E é relacionada ao processo para a preparação do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) Temozolomida, usado, então, na produção de medicamentos para alguns tipos de tumores cerebrais.

De acordo com o Cofundador do Cristália, Dr. Ogari Pacheco, o IFA Temozolomida é essencial a medicamentos indicados no tratamento de gliomas de baixo e alto grau.

Incluindo também o astrocitoma anaplásico, o glioblastoma multiforme e o melanoma metastático maligno em estágio avançado.

O Brasil importa praticamente a totalidade de insumos farmacêuticos ativos para uso oncológico, com uma dependência do País em relação ao mercado internacional.

“O Laboratório Cristália é a única empresa do País a contar com uma planta farmoquímica dedicada à produção de IFAs para o tratamento do câncer, inaugurada em 2019, e busca desenvolver tecnologias que garantam insumos mais eficientes, com menor toxicidade e com segurança no processo de produção e para o meio ambiente”, destaca Dr. Pacheco.

Desenvolvimento

O processo industrial desenvolvido pelo Cristália para a produção do IFA Temozolomida contou com tecnologia avançada e uma nova abordagem sintética.

Por padrão, o IFA Temozolomida é produzido por meio da utilização de um reagente extremamente tóxico conhecido por metil-isocianato (MIC).

A saber, trata-se de um líquido muito volátil, o que torna, portanto, difícil sua manipulação devido à formação de gases extremamente tóxicos.

Basta lembrar que o MIC foi a causa de um dos maiores desastres químicos da história industrial, ocorrido em 1984 em Bopal, na Índia.

Que expôs, assim, mais de 500 mil pessoas, levando oficialmente 2.500 à morte e causando, assim, ferimentos permanentes e incapacitantes a cerca de 4 mil pessoas.

A Temozolomida, porém, é um dos IFAs mais utilizados para o tratamento de tumores cerebrais.

Segurança na produção da patente do insumo farmacêutico

Portanto, para garantir a segurança de produção do IFA, o setor de pesquisa e desenvolvimento farmoquímico do Cristália desenvolveu um processo com um reagente alternativo, sólido, de fácil manipulação e, assim, menos tóxico, eliminando o risco de acidentes ambientais.

O processo exclusivo desenvolvido pelo Cristália resultou, assim, em um IFA de alta qualidade, atendendo também a padrões internacionais.

De acordo com Dr. Pacheco, foram mais de 2 anos de estudos, pesquisa e desenvolvimento para a obtenção da patente.

Brasil produz apenas 5% dos insumos necessários para a fabricação de seus medicamentos 

Fonte: Cristália

Foto: Pharma.com.br

 

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário