Curso de farmácia é o que mais emprega na pandemia

Mesmo com 13% de desempregados, segundo o IBGE, o setor de drogarias mantém um saldo positivo em contratações

No dia 5 de setembro foi comemorado o dia do Oficial de Farmácia, em homenagem ao primeiro encontro do setor aqui no Brasil em 1953. De lá pra cá o setor farmacêutico cresceu e tomou proporções gigantescas. Mesmo na crise causada pelo vírus do Covid-19, o setor registrou um crescimento de 7,74% nas vendas no primeiro semestre de 2020, em comparação ao ano passado, de acordo com um estudo da Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP) apresentado pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma).

Mesmo o Brasil apresentando um registro de 13% de desempregados, de acordo com o IBGE (Instituto de Geografia e Estatística), o setor de drogarias mantém um saldo positivo em contratações. O percentual é de 0,68% a mais que em 2019, no número de contratações. São 130.317 funcionários atuando nas drogarias, contra os 129.432 empregados no setor, no mesmo período do ano passado.

O crescimento, mesmo que modesto, refletiu também na procura por cursos e especializações em farmácia. O CEBRAC (Centro Brasileiro de Cursos) registrou um aumento de 18,6% na procura do curso profissionalizante de farmácia. “Antes da pandemia ele representava 25,33% das vendas e agora 30,03%, e tornou-se o curso que mais vendemos durante o isolamento social”, diz Rogério Silva, diretor da rede de cursos profissionalizantes.

STF decide que apenas o farmacêutico pode ser responsável técnico por farmácias e drogarias 

Foto: Shutterstock

Fonte: Cebrac

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário