Dermatite atópica: o que é, causas, sintomas e como tratar

Acompanhamento médico e participar de grupos de ajuda podem auxiliar nos impactos psicológicos da dermatite atópica

A dermatite atópica, uma doença crônica e genética, caracteriza-se por reações alérgicas, seguidas por coceira, vermelhidão e descamação.

Apesar de não ser contagiosa, as pessoas com dermatite atópica podem ter problemas emocionais gerados pelo preconceito.

As crises da doença são mais comuns durante a infância ou nos primeiros meses de vida, tendendo a ir desaparecendo na adolescência.

Confira como é feito o diagnóstico, tratamento, se tem cura e como prevenir crises.

O que é dermatite atópica?

Um dos tipos mais comuns de alergia cutânea, a dermatite atópica é caracterizada por um eczema atópico.

Doença genética e crônica, a dermatite atópica apresenta pele seca, crostas e erupções que coçam.

Seu surgimento é mais comum nas dobras dos braços e da parte de trás dos joelhos.

Além disso, a doença não é contagiosa.

De acordo om a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), alguns fatores de risco para o desenvolvimento de dermatite atópica podem incluir:

  • Alergia a pólen, a mofo, a ácaros ou a animais.
  • Contato com materiais ásperos.
  • Exposição a irritantes ambientais, fragrâncias ou corantes adicionados a loções ou sabonetes, detergentes e produtos de limpeza em geral.
  • Roupas de lã e de tecido sintético.
  • Baixa umidade do ar, frio intenso, calor e transpiração.
  • Infecções.
  • Estresse emocional e certos alimentos.

Como os sintomas de dermatite atópica são visíveis e, às vezes, incapacitantes, as pessoas com a doença podem desenvolver problemas emocionais.

Dermatite atópica pode comprometer aprendizagem das crianças 

Causas

A dermatite atópica é uma doença genética e crônica.

mão-coceira-dermatite-atópica

Sintomas

Com toda doença, os sintomas podem variar de pessoa para pessoa, mas normalmente são:

  • Pele muito seca com prurido que leva a ferimentos.
  • Áreas esfoladas causadas por coceira.
  • Alterações na cor, vermelhidão ou inflamação da pele ao redor das bolhas. Áreas espessas ou parecidas com couro, que podem surgir após irritação e coceira prolongadas.

De acordo com a SBD, geralmente, a dermatite atópica trata-se de um quadro inflamatório da pele que vai e volta, podendo haver intervalos de meses ou anos, entre uma crise e outra.

O eczema pode provocar comichão intensa, e o ato de coçar a lesão pode deixá-la ainda mais irritada e pruriginosa. Isso porque a coceira pode levar a lesões da pele pela unha, o que facilita a invasão e contaminação das feridas por bactérias.

Bebês tendem a desenvolver erupções cutâneas vermelhas, exsudativas e com crostas na face, no couro cabeludo, nas mãos, nos braços, bem como nos pés ou nas pernas. Já crianças e adultos tendem a desenvolver pontos geralmente nas mãos, nos braços, bem como na parte frontal dos cotovelos ou atrás dos joelhos.

Dermatite atópica: 5 coisas que você precisa saber 

Diagnóstico

O diagnóstico da doença pode ser feito a partir do surgimento da erupção cutânea e o histórico familiar da pessoa.

Em seguida, podem ser realizados testes cutâneos ou exames de sangue.

Dessa forma, se você suspeita que possui dermatite atópica, procure um médico para receber o diagnóstico correto e a melhor indicação de tratamento.

Dermatite atópica: sinal vermelho para a pele 

Tratamento da dermatite atópica

O objetivo do tratamento da dermatite atópica visa o controle da coceira, bem como a redução da inflamação da pele e a prevenção das recorrências.

A base do tratamento é o uso de hidratantes para aliviar as coceiras e evitar erupções cutâneas.

É importante reaplicar o hidratante várias vezes ao dia, assim como seguir algumas recomendações, como não esfregar a pele na hora de se enxugar após o banho.

Na maioria dos casos, a doença pode ser tratada com medicamentos tópicos, que são colocados diretamente sobre a pele ou no couro cabeludo do paciente.

Porém, é importante consultar um médico para receber o diagnóstico correto e a melhor indicação de tratamento para o seu tipo específico de dermatite atópica. Isso porque, somente ele poderá dizer qual o medicamento específico indicado para cada caso, assim como a dosagem e a duração do uso.

A automedicação nunca é indicada.

Tem cura?

Não existe cura para a dermatite atópica, porém, a coceira pode ser aliviada com medicamentos tópicos ou administrados por via oral.

Normalmente, tratamentos para a coceira podem ser aplicados em casa, assim como certas medidas e cuidados com a pele, como:

  • Usar sabonetes específicos para peles muito secas.
  • Tomar banho apenas uma vez ao dia, em temperaturas médias, nunca muito quente.
  • Hidratar a pele constantemente usando cremes específicos para peles muito secas, principalmente após a exposição à água.
  • Aplicar os cremes hidratantes imediatamente depois do banho, enquanto a pele ainda estiver úmida.
  • Não esfregar a pele ao se secar.

Além disso, no caso das crianças, é importante manter as unhas das mãos curtas, para minimizar o ato de coçar e assim reduzir o risco de infecção.

perma-creme-dermatite-atópica

Como prevenir crises de dermatite atópica?

É importante evitar o contato com as substâncias que se sabe irritarem a pele ou alimentos aos quais a pessoa é sensível. Assim, é possível prevenir erupções cutâneas.

Além disso, certas medidas podem ajudar, como:

  • Remover tapetes, bem como brinquedos de pelúcia e não ter animais domésticos para reduzir ácaros e caspas de animais.
  • Reduzir o estresse emocional.
  • Usar hidratantes específicos para peles muito secas.

4 formas de prevenir a dermatite atópica 

Alimentos podem provocar uma crise de dermatite atópica?

De acordo com a SBD, o papel do alimento como gatilho para crise de dermatite atópica ainda é controverso. Entretanto, pacientes com a doença apresentam maior incidência de alergias alimentares.

Os principais alimentos envolvidos são os peixes, ovos, leites de vaca e de cabra, milho, bem como amendoim e crustáceos.

Assim, retirar o alimento suspeito da alimentação, pode contribuir para a melhora do quadro clínico.

10 dicas para manter a pele saudável e sempre bonita 

Quanto tempo dura uma crise de dermatite atópica?

O tempo de duração da erupção cutânea varia de pessoa para pessoa.

Conclusão

A dermatite atópica, também chamada de eczema, é uma doença crônica e genética, muito comum e não contagiosa.

Seu surgimento é mais comum nas dobras dos braços e da parte de trás dos joelhos.

O tratamento inclui manter a pele hidratada bem como evitar fatores desencadeadores. Entretanto, em alguns casos, é necessário usar medicamentos e fazer terapias específicas, como a com luz ultravioleta.

A maioria das pessoas desenvolve o distúrbio antes dos cinco anos, e muitas o desenvolvem com menos de um ano de idade. Entretanto, a dermatite atópica que se desenvolve durante a infância frequentemente desaparece ou diminui consideravelmente até a fase adulta.

Ainda não há cura para doença, que tem um dos desencadeadores o fator psicológico. Entretanto, ela pode ser controlada com tratamento, acompanhamento médico e apoio em grupos de ajuda.

Se você suspeita que possui dermatite atópica, procure um médico para receber o diagnóstico correto e a melhor indicação de tratamento. Isso porque, somente ele poderá dizer qual o medicamento específico indicado para cada caso, assim como a dosagem e a duração do uso.

A automedicação nunca é indicada.

Fontes:

Manual MSD

Sanofi

Sociedade Brasileira de Dermatologia

 

Fonte: Guia da Farmácia

Fotos: Shutterstock

Não se automedique, consulte um profissional de saúde.

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário