Dia Nacional da Hipertensão: conheça 5 fatos sobre a doença

Enfermidade já acomete 36 milhões de brasileiros

Nesta sexta-feira (26) é celebrado o Dia Nacional do Combate à Hipertensão, mal que afeta 36 milhões de brasileiros, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Frequentemente negligenciada, a hipertensão é uma doença silenciosa: a maior parte dos pacientes não apresenta sintomas até que um órgão, como coração, cérebro ou rim, seja lesionado.

O que muita gente não sabe é que a pressão alta, se não for tratada da forma correta, pode reduzir a expectativa de vida em até cinco anos e pode ter como consequência outras doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essas enfermidades representam a principal causa de morte no mundo, por isso a conscientização é imprescindível. A gerente médica de Cardiometabolismo da Sandoz – empresa do Grupo Novartis, Luciana Abrahão, comenta fatos importantes sobre a hipertensão. Acompanhe:

1. A pressão alta é uma doença comum e altamente negligenciada

Dados do Ministério da Saúde apontam que 25% das pessoas diagnosticadas com hipertensão não aderem ao tratamento corretamente. O Brasil, em particular, tem vivenciado a ocorrência precoce do problema. “A maior parte dos hipertensos não adota hábitos saudáveis, tais como a prática de atividade física e uma dieta pobre em sal, o que agrava o cenário”, comenta Luciana Abrahão.

2. Quem tem hipertensão corre maior risco de infarto e outras doenças

A pressão alta faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído corretamente no corpo. Se não controlada, é fator de risco para infarto do miocárdio, AVC e outras doenças cardiovasculares.

3. Hipertensos podem fazer atividades físicas

A atividade física regular, após avaliação e liberação médica, auxilia no controle da hipertensão arterial. O exercício ajuda na regulação do sistema nervoso simpático, responsável pelo ritmo da respiração e da pressão arterial.

4. A quantidade de sal na alimentação deve ser drasticamente reduzida

O sal contém sódio, uma substância que, em excesso, pode ter como consequência o aumento de pressão. O sódio obriga o corpo a reter mais líquidos, aumentando o volume de fluidos nos vasos sanguíneos.  Com o volume aumentado, os vasos se contraem para equilibrar o fluxo. “Vasos contraídos diminuem a quantidade de sangue circulando no organismo, mas a pressão de bombeamento do coração continua alterada”, explica. Por isso, é importante que hipertensos controlem a ingestão de sal e de alimentos ricos em sódio.

5. Hipertensão não tem cura, mas há tratamento

Hipertensão é definida como a medida da pressão arterial acima de 14 por 9 com o paciente em repouso. É possível controlar a pressão alta com mudanças no estilo de vida e com a administração medicamentos anti-hipertensivos por via oral. É importante frisar, contudo, que a hipertensão arterial essencial, que acomete a maior parte dos indivíduos, não tem cura definitiva: “É preciso acompanhamento periódico e uso contínuo de medicamentos”, alerta Luciana Abrahão.

Mutirão Pulso Livre no Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

A Libbs Farmacêutica e a Drogaria São Paulo se uniram para levar informação gratuita a quem estiver no Shopping Center Norte na próxima sexta-feira. Lá será possível aferir peso, pressão e circunferência abdominal, além de poder tirar dúvidas sobre o assunto com o cardiologista e professor do departamento de Cardiologia da Unifesp, Dr. Jairo Lins Borges. A intenção do mutirão é conscientizar cada vez mais a população de que é importante se cuidar e incentivar que não abandonem o tratamento ao sentir que não há mais sintomas.

Local: Shopping Center Norte

Endereço: Tv. Casalbuono, 120, Vila Guilherme (SP). Alameda de Serviços, em frente à Drogaria São Paulo

Data: 26 de abril

Horário: Das 11h00 às 16h00

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

Mitos e verdades sobre osteoporose

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário