Dicas de como lidar com a intolerância à lactose, sem abrir mão dos nutrientes

O uso de suplementos enzimáticos para estimular a qualidade de vida e o bem-estar é a orientação do Médico Nirley Moreira, do Teuto

A Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), diz que a intolerância à lactose é uma condição que afeta 70% da população mundial. No Brasil, cerca de 60% da população sofre com ela.

A enfermidade ocorre quando o corpo possui uma deficiência de Lactase, a enzima que quebra a Lactose e garante a digestão adequada.

Entre os sintomas da doença estão: indigestões, náuseas, excesso de gases, assaduras e distensões abdominais.

Portanto, é importante saber o que fazer se o problema surgir.

De acordo com o médico responsável pelo Laboratório Teuto, Dr. Nirley Moreira, esse número alto de casos tem ligação com o fato de nossos ancestrais não terem consumido muita lactose.

“Os descendentes de japoneses e judeus, por exemplo, possuem grandes chances de serem intolerantes, porque suas gerações anteriores não se adaptaram ao consumo de lactose em suas dietas”, revela o profissional.

Orientação médica

Para o médico responsável é importante, portanto, uma consulta com um profissional um diagnóstico preciso da intolerância.

“Receber as instruções necessárias para seu caso específico é importante, pois há mais de um jeito de tratar a intolerância à Lactose”, alerta.

A primeira dica, depois do diagnostico, é fazer o uso de suplementos enzimáticos que auxiliam na digestão da lactose presente nos laticínios.

“Quando se tem intolerância, é preciso ter controle no consumo de alimentos lácteos, mesmo usando suplemento enzimático. Porém usando os produtos corretos, como por exemplo, a Lactrat, a liberdade para consumir mais leite e derivados aumenta, estimulando a qualidade de vida e bem-estar”, orienta Dr. Nirley.

A segunda dica, de acordo com ele, é consumir alimentos que possuem os mesmos nutrientes que os Laticínios oferecem.

“As vitaminas encontradas no leite e derivados podem ser encontradas em outras refeições. O açaí pode ser usado para a obtenção de cálcio. Carne, salmão e sardinha, contém bastante Vitamina D e a vitamina A pode ser adquirida em vegetais como cenoura, espinafre, alface, mostarda e muitos outros”, instrui o médico do Teuto.

Vitaminas

Dr. Nirley alerta também para a importância de não deixar de consumir essas vitaminas, especialmente na pandemia.

“Mais do que nunca, é necessário consumir produtos ricos em nutrientes para que seu corpo se fortaleça. Se você tem intolerância à lactose e deseja continuar tomando seu leite pela manhã, vá ao médico para ver sua melhor opção. O importante é não parar de ter uma alimentação variada e saudável”, finaliza.

Intolerância x alergia ao leite: similares, mas diferentes 

Fonte: Teuto

Foto: Divulgação / Teuto

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário