Veja as doenças de pele, cabelo e unhas comuns em crianças pós-férias

Alerta é da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Durante o verão, as crianças costumam intensificar as atividades ao ar livre, ficam mais expostas ao sol e visitam locais com aglomeração de pessoas, desencadeando algumas doenças da pele, cabelos e unhas. Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) recomenda que os pais/responsáveis levem seus filhos ao dermatologista para avaliação clínica e proteção antes de voltarem à rotina.

“É sempre importante redobrar a atenção e cuidados com as crianças no retorno às aulas. Muitas voltam das férias com doenças que podem ser transmitidas durante o contato com as outras crianças em escolas e creches”, comenta a coordenadora do departamento de dermatologia pediátrica da SBD, Dra. Ana Mósca. Conheça as principais doenças da pele, cabelos e unhas que acometem as crianças e oriente os clientes das farmácias para a prevenção.

Doenças contagiosas

Pediculose (piolho)

Conhecida popularmente como piolho, é uma doença parasitária causada por insetos sugadores de sangue que vivem e se reproduzem na superfície da pele e dos pelos. A transmissão da doença ocorre por contato direto e os sintomas são coceiras que podem provocar ferimentos. Para prevenir, é necessário evitar o compartilhamento de escovas, roupas, bonés, toalhas e contato direto com o cabelo das crianças infestadas. Uma outra dica é não ir de cabelo molhado para a escola, porque a umidade favorece a proliferação do inseto.

Molusco

É uma infecção comum, causada por vírus. Se confunde com pequenas espinhas, cravos ou bolinha branca de gordura e pode se espalhar. O contato direto é a forma de contágio mais comum para esse tipo de infecção. Uma dica é evitar coçar e mexer nas lesões. Recomenda-se que os responsáveis procurem um dermatologista para tratar com medicamentos ou remover as lesões.

Impetigo

É uma infecção bacteriana superficial, altamente contagiosa e muito comum na face ou extremidades da pele de crianças. O verão é a estação propícia para o desenvolvimento da doença, uma vez que o calor e a umidade favorecem a instalação e o desenvolvimento dos agentes infecciosos. Também pode ocorrer após picadas de inseto, ferimentos superficiais (arranhões e pequenos cortes) ou como infecção secundária aos quadros de dermatite ou alergia a picada de inseto. Causa crostas e, por vezes, bolhas. Para prevenção é preciso manter a pele limpa e evitar “coçar” as lesões.

Impingem

Nome popular para dermatofitose ou tinea, uma micose superficial, caracterizada por manchas vermelhas que se acentuam e crescem nas bordas. Ela produz intensa coceira e é bastante contagiosa. Pode acometer qualquer local da pele, mas é mais frequente entre os dedos dos pés (conhecida como frieira ou pé de atleta), virilha e outras regiões de dobras. A transpiração, o calor e a umidade são alguns fatores que favorecem o crescimento do fungo, que é seu agente causador. Uma boa higiene é fundamental para que as micoses não apareçam, assim como secar cuidadosamente o corpo após o banho, em especial as regiões de dobras como axilas, virilha, entre os dedos dos pés e nádegas.

Escabiose (sarna)

É uma parasitose no qual o contágio se dá somente entre humanos, por contato direto com pessoas ou roupas e outros objetos contaminados. As principais lesões na pele são pequenas crostas isoladas ou formando túneis e, nas suas extremidades, pequenas vesículas que coçam, principalmente à noite. Em geral outros membros da família também são acometidos. Importante: animais como gato e cachorro não transmitem a sarna humana.

Verrugas

São proliferações benignas da pele causadas pelo papilomavírus humano (HPV). Seu aspecto varia de acordo com o local acometido. Costumam se apresentar sem sintomas. Porém, não é anormal que, ocasionalmente, haja sangramento ou dor. Frequentemente são vegetantes (aspecto de couve-flor), ásperas, da cor da pele, mas também podem ser planas, macias e escuras. As lesões clínicas decorrentes da infecção pelo HPV podem se apresentar de diferentes formas. Para prevenir a transmissão, evitar o contato com pessoas ou objetos infectados.

Doenças não contagiosas

Pitiríase versicolor (pano branco)

Popularmente chamada de “pano branco”, é um tipo de micose oportunista causada por uma levedura e comum nos climas quentes e úmidos. São manchas brancas que descamam, especialmente nas áreas muito oleosas do corpo e no couro cabeludo. Geralmente, o indivíduo já tem a doença consigo, e, quando ele se bronzeia, nota essa característica de manchas arredondadas ou ovais, ou muitas vezes de aspecto geográfico, geralmente brancas e menos comumente rosadas. A família deve ficar atenta aos sintomas na criança e procurar um dermatologista para cuidar.

Brotoeja

São bolinhas de água e/ou vermelhas que podem apresentar coceira. Aparece com maior frequência no verão ou em situações que elevem a temperatura.  Excesso de roupas, suor e febre alta podem ser fatores desencadeantes. Para prevenção, o ideal é manter as crianças em ambientes frescos e arejados.

Hiperidrose

A hiperidrose nada mais é do que uma a produção excessiva de suor. Durante o verão, por conta das férias e atividades ao ar livre, é muito comum o aparecimento dessa condição nas crianças. A desidratação é o principal sintoma, então, é aconselhável que os responsáveis pelas crianças fiquem atentos ao oferecimento frequente de líquidos para ingestão.

Alergia

Doença comum em meninas que utilizam maquiagem e esmalte de adulto ou pintam os cabelos para irem às aulas. Isso porque a pele da criança tende a ser mais fina e porosa, sendo assim absorve mais as substâncias químicas dos produtos, com maior risco de reações alérgicas graves. Por isso, a SBD recomenda que crianças utilizem apenas produtos infantis e específicos para a sua faixa etária. A tintura ou descoloramento dos cabelos das crianças é outro motivo das alergias. Nesse caso, a SBD não recomenda nenhum tipo de tintura.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

8 mitos e verdades sobre a fotoproteção

 

 

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário