Doria e Covas negociam 45 milhões de doses de Johnson, Pfizer e Sputnik

Estados e municípios correm para negociar por conta própria vacinas contra o coronavírus, com a autorização do STF e Congresso

As compras por mais vacinas como as da Johnson & Johnson, da Pfizer e da russa Sputnik V já estão sendo planejadas pelo governo de São Paulo.

Há uma semana, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou que governadores e prefeitos comprem e distribuam vacinas por conta própria, caso o governo federal descumpra o Plano Nacional de Imunização (PNI).

Mas estados e municípios querem mais agilidade, num momento em que todas as regiões do país veem piora nas internações. UTIs das capitais têm mais de 90% de ocupação.

A Câmara aprovou um texto, já votado no senado, que permite a compra de vacinas desde doadas integralmente ao Sistema Único de Saúde (SUS).

O Fórum Nacional de Governadores negocia, então, a compra de até 50 milhões de doses da vacina russa Sputnik V.

Em paralelo, governadores e prefeitos agem por conta própria.

O secretário municipal de Saúde de São Paulo disse que o município negocia a compra de 5 milhões de doses da vacina da Johnson & Johnson.

O imunizante tem a vantagem de precisar de apenas uma dose, e está em fase final de aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além disso, a capital paulista também negocia a compra de doses da vacina da Pfizer.

Ontem (3) o governador de São Paulo, João Doria, afirmou que o estado pretende comprar 20 milhões de doses da vacina da Pfizer e outras 20 milhões de doses da Sputnik V.

A saber, a Pfizer havia oferecido 100 milhões de doses de vacina ao governo federal, mas a equipe de Jair Bolsonaro não fechou acordo.

Fonte:  Exame

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário