fbpx

Eli Lilly pede autorização nos EUA para tratamento contra a Covid-19

Os primeiros resultados da Eli Lilly mostraram que o tratamento reduz a carga vital, os sintomas e as taxas de hospitalização da Covid-19

A empresa de biotecnologia Eli Lilly anunciou, dia 7 de outubro, que está tentando obter uma autorização para o uso de emergência ao seu tratamento com anticorpos para a Covid-19.

Isso aconteceu depois que os primeiros resultados mostraram que reduz a carga vital, os sintomas e as taxas de hospitalização.

“Nossa equipe tem trabalhado incansavelmente nos últimos sete meses para descobrir e desenvolver esses potenciais tratamentos de anticorpos”, disse o diretor científico da Lilly, Daniel Skovronsky.

“A Lilly está trabalhando de forma diligente com reguladores ao redor do mundo para disponibilizar este tratamento”, acrescentou.

A companhia disse que sua “terapia que combina” dois anticorpos que funcionam juntos estavam mostrando ser eficiente em um estudo controlado por placebo com 268 pacientes contagiados com a Covid-19 de leve a moderada.

Análises

Suas análises mostraram, todavia, que a proporção de pacientes com alta carga viral no sétimo dia de sua doença foi de 3,0%, quando foram tratados com a terapia, em comparação com 20,8% dos que receberam um placebo.

A melhora dos sintomas foi vista três dias depois da dose.

A taxa de hospitalização e visitas de emergência relacionadas com a Covid-19 foi de 0,9% para os pacientes tratados com terapia combinada contra 5,8% com placebo, uma redução do risco relativo de 84,5%.

Mais estudos

A companhia também está estudando uma “monoterapia” de apenas um dos dois anticorpos e disse que pesquisas paralelas mostraram que era igualmente efetiva.

O ensaio está em curso e Lilly quer recrutar um total de 800 pessoas.

Lilly disse que espera ter 100.000 doses da monoterapia disponíveis este mês e um milhão no fim do ano.

E que também espera ter 50.000 doses da terapia de combinação no fim de 2020.

Todavia, as descobertas ainda não foram publicadas em uma publicação revista por pares.

O presidente americano, Donald Trump, que está com Covid-19, recebeu uma dose de anticorpos elaborados pela empresa Regeneron.

A farmacêutica também reportou resultados animadores em seus primeiros testes.

Mas ainda não pediu a aprovação de emergência e, portanto, segue sendo um tratamento experimental.

Aprovação americana

A FDA, agência que regula alimentos e regulamentos nos Estados Unidos, concedeu antes uma Autorização de Uso Experimental para o antiviral Remdesivir, para o plasma convalescente e para a hidroxicloroquina, que posteriormente foi revogada por motivos de segurança.

Foto: Shutterstock

Fonte: IstoÉ Dinheiro

Deixe um comentário