Endometriose: o que é, sintomas, tratamento, tem cura?

A endometriose é uma doença que pode surgir na primeira menstruação e se estender até a menopausa. Caso a mulher perceba uma evolução de um incômodo é hora de buscar ajuda médica

A endometriose é um tema muito discutido quando o assunto é a saúde da mulher.

Conhecida como “a doença da mulher moderna”, é uma referência ao comportamento feminino atual.

Ou seja, caracterizado por mulheres que engravidam com idade avançada, têm menos filhos e estão submetidas a altos níveis de estresse por conta de suas atividades habituais.

Essa postura propicia mais tempo de exposição do organismo ao estrógeno (já que menstrua mais vezes) e regressão contínua de suas defesas, devido ao estresse.

De acordo com o Centro de Endometriose de São Paulo, a endometriose acomete de 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva, e cerca de 35 a 50% das infertéis.

Estima-se atualmente que, só no Brasil, 6 a 7 milhões sofram de endometriose.

Mas o que é endometriose? Fique bem informada e confira as principais causas, dúvidas e tratamentos desta doença.

O que é endometriose?

Endometriose é uma doença crônica inflamatória (podendo ser dolorosa) provocada por células do endométrio (tecido que reveste o útero) que, em vez de serem expelidas durante a menstruação, se movimentam no sentido oposto e caem, portanto, nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar.

Ainda de acordo com o Centro de Endometriose de São Paulo, os focos do endométrio são estimulados todo mês, por conta da ação hormonal do estrógeno produzido pelos ovários decorrente do ciclo menstrual normal, inflamando a região afetada e causando dor.

Essa dor pode progredir com o passar do tempo e, na defesa do organismo contra a evolução do incômodo, formam-se algumas cicatrizes (aderências) no local inflamado, estimulando, assim, sintomas mais graves, como a dor contínua e a infertilidade.

De um modo geral, para a Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), essa condição é diagnosticada após os 20 anos de idade, mas o tecido uterino pode crescer fora do local correto antes mesmo que a menina tenha sua primeira menstruação.

Os locais mais comumente acometidos pela endometriose são os ovários, as trompas, o peritônio e a área entre o útero e o reto.

Mais raramente, também pode atingir o intestino, a bexiga, o diafragma, bem como a vagina e a parede abdominal.

Desmistificando a endometriose

Quais as causas

Para a Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (ABE), a principal causa é a menstruação.

Acredita-se que quanto mais ciclos menstruais a mulher tiver, certamente maior o risco de ter a doença aumenta.

Entretanto, ainda não existe uma compreensão completa sobre a origem da endometriose.

Sabe-se que existem uma série de fatores imunológicos, genéticos, fatores de crescimento e também alterações enzimáticas  que tornam o endométrio de algumas mulheres mais susceptível ao desenvolvimento da doença.

orgão-endometriose

 Sintomas da endometriose

Além das cólicas muito fortes e de dores abdominais, outros sete sintomas de endometriose, de acordo com informações da Rede D´Or São Luiz, são:

  • Sangramentos intestinais e urinários durante a menstruação.
  • Sangramento menstrual intenso e irregular.
  • Dor intensa em relações sexuais.
  • Dor pré-menstrual, chegando a acontecer uma ou duas semanas antes da menstruação acontecer de fato e acometendo o abdômen.
  • Fadiga e cansaço.
  • Infertilidade ou dificuldade maior para engravidar.

Como é feito o diagnóstico?

Os avanços da ciência e da tecnologia têm provocado mudanças na área da saúde da mulher.

As cirurgias ginecológicas minimamente invasivas são um exemplo dessa tendência mundial, que proporciona benefícios importantes às pacientes.

Sempre orientado por médicos especialistas, neste caso por ginecologistas, há exames que detectam facilmente se a mulher tem endometriose.

O exame ginecológico clínico é o primeiro passo para o diagnóstico. Depois ele que pode ser confirmado por exames laboratoriais e de imagem.

A visualização das lesões pode ser feita por laparoscopia, ultra-som, bem como por ressonância magnética e um exame de sangue chamado marcador tumoral CA-125, que se altera nos casos mais avançados da doença.

Contudo, somente um médico pode indicá-los, bem como realizar o diagnóstico correto da doença.

Saiba quais são os exames que toda mulher precisa fazer em cada fase da vida

 Qual o tratamento?

Para a Rede D’Or São Luiz, dependendo da gravidade dos sintomas, mulheres em idade fértil devem considerar o uso do anticoncepcional como forma de suspender a menstruação e evitar as dores da endometriose.

Nos casos de endometriose profunda, é recomendado que a mulher passe por procedimentos cirúrgicos,  pois a administração de analgésicos e anti-inflamatórios nem sempre é efetiva.

Esse procedimento é quando o médico precisa fazer uma raspagem do endométrio que foi parar em órgão diversos.

Isso em último caso, se os sintomas estiverem impedindo a mulher de seguir com suas atividades diárias e causando uma dor e sintomas extremos, além de um comprometimento no órgão afetado pela endometriose profunda.

Certos casos de endometriose podem envolver uma histerectomia, que é a remoção por completo do útero e de seus acessórios, em especial em mulheres que já tiveram filhos.

Contudo, se você apresentar sintomas relacionados a endometriose, a recomendação é procurar um médico rapidamente. 

Candidíase: o que é, sintomas, diferentes tipos e como tratar

medico-endometriose

Quando a endometriose é considerada grave?

Quando o tecido endometrial atinge uma área maior do órgão, sendo ainda mais espesso do que na endometriose comum, assim, provocando dores intensas, fluxo sanguíneo exagerado e infertilidade.

De acordo com a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anap), a endometriose provoca dores durante as relações sexuais, sangramentos e cólicas intensas, potencialmente incapacitantes, que interferem na rotina diária e no trabalho.

Um estudo da Associação apontou que a queda na produtividade entre as pacientes com a doença pode ser até 38% maior.

Endometriose tem cura?

Não. No entanto, tratamentos eficazes, como hormônios e excisão cirúrgica, sempre orientados por um médico, estão disponíveis como uma forma para amenizar a doença e levar, assim, mais qualidade de vida às mulheres.

O que acontece se não fizer o tratamento correto?

Seguir as orientações e condutas médicas é essencial para um tratamento eficaz. Só assim é possível conseguir amenizar os desconfortos e fazer com que não haja uma maior evolução da doença, chegando a um grau de complexidade cirúrgica.

A endometriose é perigosa?

De acordo com a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anaph) a endometriose é uma das maiores causas de hospitalização feminina, e motivou, no Brasil, 71.818 internações entre 2009 e 2013.

Caso a mulher abandone o tratamento, a endometriose pode levar a dificuldades para engravidar, mas infertilidade pode ser restabelecida com tratamento adequado.

 Cinco fatores que podem prejudicar a fertilidade da mulher

Pessoas com endometriose tem que tomar cuidados específicos?

Neste caso, a orientação médica deve prevalecer. Todo um cuidado especial por parte do médico deve ser respeitado para que o tratamento escolhido dê certo.

Quem tem endometriose menstrua? Pode ter filhos?

De acordo com o site Gineco.com.br, da farmacêutica Bayer, as mulheres com endometriose menstruam e pode ter sangramentos mais intensos e por mais de 7 dias.

O sangue pode vir em “pedaços” como se estivesse coagulado e sua coloração pode ser mais escura, em tons de marrom.

Mulheres com endometriose também podem sofrer de fortes cólicas durante a menstruação.

De acordo com o Hospital 9 de julho é muito difícil saber se a paciente com endometriose terá problemas para engravidar ou não.

Isso depende de diversos fatores, incluindo o estágio da doença de acordo com classificações já estabelecidas.

Como a gravidez induz um estado hormonal que não promove o “crescimento” do endométrio, a tendência é a doença estabilizar durante a gravidez e amamentação. Muitas vezes os sintomas melhoram, assim, podendo até resolver completamente.

TPM: sofrimento reversível

 Conclusão 

Endometriose é uma afecção inflamatória provocada por células do endométrio que, em vez de serem expelidas, migram no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal.

A endometriose acomete as mulheres na fase reprodutiva da vida, ou seja, enquanto menstruam.

Seus sintomas podem surgir desde a primeira menstruação e perdurar até a menopausa, com tendência à uma regressão devido a um declínio nos hormônios que lidam diretamente com o endométrio.

Os sintomas mais comuns são: dor pélvica, bem como dismenorreia (cólica) e dispareunia (dor durante a relacão sexual).

No livro Endometriose: Tudo o que você precisa saber sobre essa doença misteriosa, através um uma linguagem didática, a médica Rosa Maria Neme esclarece e elimina todos os questionamentos acerca do tema.

A saber, todo ano no mês de março, lembrado pelo Dia Internacional da Mulher é feito também diversas ações de entidades e farmacêuticas voltadas à área da saúde da mulher pela conscientização sobre a endometriose.

É o chamado Março Amarelo.

No site da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) é possível obter maiores informações a respeito desta ação.

Fontes:

Associação Nacional de Hospitais Privados (Anaph)

Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (ABE)

Biblioteca Virtual de Saúde (BVS)

Bayer

Centro de Endometriose de São Paulo

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo)

Hospital 9 de julho

Livro Endometriose: Tudo o que você precisa saber sobre essa doença misteriosa

Ministério da Saúde (MS)

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA)

 

Fonte: Guia da Farmácia

Fotos: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário