fbpx

Um terço do mercado farmacêutico é de Genéricos

Brasil teve cerca de 200 novos medicamentos genéricos registrados em 2019 para o tratamento das mais diversas patologias. Opções de escolha crescem cada vez mais

A Lei 9.787, de 1999, que instituiu os medicamentos genéricos, e sua subsequente regulação, constitui uma das mais rigorosas legislações do mundo no que se refere ao controle de qualidade para o consumidor. Os genéricos passam por rigorosos testes de qualidade antes de chegar ao mercado.

De acordo com a presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos), Telma Salles, existem 85 laboratórios comercializando genéricos no País – dezembro de 2019. “Há cerca de 3.325 medicamentos genéricos com registros válidos no Brasil e hoje já existem genéricos para tratar 95% das patologias conhecidas.”

Apesar do aparente amadurecimento deste mercado no Brasil, os genéricos ainda têm grande espaço para crescimento no Brasil. “Temos pouco mais de 1/3 do mercado. Em países como Estados Unidos e Canadá, esse índice ultrapassa a casa dos 80%. Os genéricos são o grande instrumento de acesso a medicamentos no País”, diz Telma.

Medicamentos genéricos inéditos registrados em 2019

O QUE SÃO OS GENÉRICOS INÉDITOS?

Eles correspondem ao primeiro medicamento genérico a ser registrado para determinada substância ativa ou associação, para determinada concentração ou para determinada forma farmacêutica.

QUAL A IMPORTÂNCIA DESSES MEDICAMENTOS?

Os pedidos de registro de medicamentos genéricos inéditos são tratados com prioridade, uma vez que estes têm especial importância na ampliação da oferta, redução do preço do tratamento e estímulo da concorrência.

QUAIS AS NOVIDADES EM 2019?

A seguir, estão listados os registros de medicamentos genéricos inéditos para determinada substância ativa ou associação (1), para determinada forma farmacêutica (2) ou para concentração (3).

Contudo, para o vice-presidente LATAM do Close-Up, Paulo Paiva, existem poucas oportunidades de novos genéricos nos próximos cinco anos. “As grandes oportunidades estão em novas combinações, apresentações e na busca do switch da prescrição de um produto de marca para um genérico. Os desafios estão centrados na manutenção do preço, já que o produto genérico é, por definição, um produto que tem um grande diferencial no preço de comercialização e isto pressiona os preços de genéricos a reduções frequentes.”

Foto: Shutterstock