Farmácias são proibidas de exigir CPF em São Paulo

Nas farmácias e drogarias deverão ser afixados avisos com os dizeres "Proibida a exigência do CPF no ato da compra que condiciona a concessão de determinadas promoções"

O governador do estado de São Paulo, João Doria, promulgou no dia 01 de dezembro, a lei que proíbe as farmácias de exigir o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).
Confira na íntegra: 
Art. 1º As farmácias e drogarias ficam proibidas de exigir o Cadastro de Pessoas Físicas – CPF do consumidor, no ato da compra, sem informar de forma adequada e clara sobre a abertura de cadastro ou registro de dados pessoais e de consumo, que condiciona a concessão de determinadas promoções. Parágrafo único. A violação do disposto no “caput” deste artigo sujeita o comerciante ou o estabelecimento comercial ao pagamento de multa no valor de 200 (duzentas) Unidades Fiscais do Estado de São Paulo – UFESPs, dobrada em caso de reincidência. 
Art. 2º Nas farmácias e drogarias deverão ser afixados avisos contendo os dizeres “Proibida a exigência do CPF no ato da compra que condiciona a concessão de determinadas promoções”, em tamanho de fácil leitura e em local de passagem e fácil visualização. 
Art. 3º Caberá ao Poder Executivo, por meio de decreto, editar normas complementares para a execução da presente lei.
Art. 4º As despesas decorrentes da execução desta lei correrão à conta de dotações orçamentárias próprias.
Art. 5º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
Fonte: Guia da Farmácia / LegisWeb
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário