FEMSA negocia compra das drogarias São Paulo e Pacheco

As tratativas da compra das drogarias São Paulo e Pacheco pela FEMSA são para a compra de 100% do negócio

A mexicana FEMSA está negociando a compra do Grupo DPSP, dona das Drogarias São Paulo e Pacheco. As conversas ainda são preliminares e não há garantia de que o negócio será fechado.

As tratativas são para a compra de 100% do negócio e o DPSP vem sendo representado por uma ex-banker do Banco Espírito Santo que assessorou a Pacheco na fusão com a São Paulo, em 2011.

As incursões de investidores estratégicos internacionais no varejo farmacêutico brsileiro nunca foram muito bem-sucedidas. A CVS – que chegou a negocias a compra do DPSP há cerca de cinco anos – acabou tendo que vender a Onofre para a Raia Drogasil no ano passado, após tomar prejuízo com o negócio.

A FEMSA, no entanto, tem expertise no negócio na América Latina, bolsos fundos e apetite pelo Brasil.
Mais conhecida por ser a dona da maior engarrafadora de Cola-Cola no mundo, com operações no Brasil, a holding também tem um braço que opera mais de 1.100 farmácias no México e no Chile sob as marcas YZA, Moderna, Farmacon e Cruz Verde.

A holding começou a investir em farmácias no México em 2013, como uma forma de alavancar a expertise no varejo adquirida em lojas de conveniência. Além disso, a FEMSA é dona da Oxxo, a maior rede de lojas de conveniência da América Latina, com mais de 18 mil pontos de venda no México, Colômbia, Chile e Peru.

FEMSA e Drogarias São Paulo e Pacheco

As conversas com a DPSP vêm num momento em que a FEMSA finca o pé no varejo brasileiro, com lojas de conveniência.

Em agosto, a empresa fechou sociedade com a Raízen – joint venture da Shell com a Cosan – para operar e expandir as lojas Shell Select e criar uma rede de lojas de proximidade com a bandeira Oxxo.

A DPS tem 1.350 lojas concentradas principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Em 2018 a companhia faturou R$ 9,1 bilhões, 3% a mais do que no ano anterior. O luco, no entanto, recuou para 23% para R$ 216 milhões.

A Pacheco e a São Paulo se fundiram em 2011, meses depois de a Raia se juntas à Drogasil. A família Barata, dona da Pacheco, tem participação de 51% na DPSP. Os 49% restantes estão nas mãos da família Carvalho, fundadora da Drogaria São Paulo.

Foto: Grupo DPSP
Fonte: Brazil Journal

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário