Governo inclui profissionais da educação no grupo prioritário da vacinação

Por meio de nota, MEC confirma a decisão do governo federal

O ministro da educação, Milton Ribeiro, confirmou a inclusão de profissionais da educação no grupo prioritário da vacinação contra o coronavírus.

No anúncio, em publicação nas redes sociais, o ministro destacou que a medida visa “o mais breve e seguro retorno às aulas” e a classificou como uma vitória para a educação.

Por meio de nota, o Ministério da Educação (MEC) ressaltou que o chefe da pasta “enviou ofício à Casa Civil, solicitando a inclusão dos estudantes, professores e demais profissionais da educação, da educação básica, com ênfase no 1º e 2º ano do ensino fundamental, como grupo prioritário no esforço de vacinação contra a covid-19. A sugestão foi aceita e esses profissionais foram incluídos no grupo prioritário para receber a vacinação”.

Veto polêmico como pano de fundo

Na última terça-feira (2), o presidente Jair Bolsonaro vetou, assim, trechos da Medida Provisória nº 1003/2020 que autorizava o Poder Executivo federal a aderir ao Covid-19-Covax Facility, e estabelecia, ainda, diretrizes para a imunização da população.

Um dos trechos vetados garantia que a imunização contra a Covid-19 seguiria, então, observadas orientações como:

“A contemplação de acesso aos grupos de risco definidos em ato do Ministério da Saúde, aos profissionais de saúde, de segurança pública e de educação”.

Assim, o trecho havia sido incluído durante a tramitação da MP no Congresso Nacional. Os congressistas ainda apreciarão os vetos.

O deputado federal Bacelar (PODE-BA) ressalta que planejava a mobilização para derrubar o veto ao trecho que exclui da lista prioritárias os profissionais da educação.

No entanto, considera que o Ministério da Saúde (MS) supriu isso ao incluí-los no grupo prioritário.

“Era uma batalha que a gente ia ter e que, com certeza, o Congresso Nacional ia derrubar o veto”, afirma.

Um dos trechos vetados garantia que a imunização contra a Covid-19 seguiria observadas orientações como “a contemplação de acesso aos grupos de risco definidos em ato do MS, aos profissionais de saúde, de segurança pública e de educação”.

 A saber, o trecho havia sido incluído durante a tramitação da MP no Congresso Nacional. Os congressistas ainda apreciarão os vetos.

Contudo, o deputado federal Bacelar (PODE-BA) ressalta  que planejava a mobilização para derrubar o veto ao trecho que exclui da lista prioritárias os profissionais da educação.

No entanto, considera que o MS supriu isso ao incluí-los no grupo prioritário.

“Era uma batalha que a gente ia ter e que, com certeza, o Congresso Nacional ia derrubar o veto”, afirma.

Sindicatos dos professores do DF consideram a decisão acertada

 O diretor jurídico do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF), Rodrigo de Paula, ressaltou que a entidade vê com bons olhos a decisão.

“Mas, ao mesmo tempo, a gente tem um certo receio porque estamos acompanhando que não tem vacina”, ressalta. Ele diz que espera que os professores sejam imunizados o quanto antes, para que tenham a tranquilidade de voltar à normalidade.

Entenda a ordem de vacinação contra a Covid-19 entre os grupos prioritários 

Fonte: Correio Braziliense

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário