fbpx

Impacto da pandemia no varejo

Os primeiros sentimentos vividos pelo isolamento social foram sentidos de forma distinta entre homens e mulheres

A pandemia do Covid-19 tem ocasionado um grande impacto  na vida de todas as pessoas ao redor do mundo. Realizamos uma pesquisa com mulheres do grupo Mulheres do Varejo e homens que trabalham de forma direta ou indireta com o varejo para entender o impacto deste momento em suas vidas pessoal e profissional. A pesquisa foi feita em duas fases, a primeira qualitativa (somente com mulheres) e posteriormente uma quantitativa com mulheres e homens e, em ambas as fases, tivemos uma mescla de participantes com filhos pequenos, grandes e sem filhos, com e sem ajuda doméstica e que estivessem em isolamento social ou saindo para trabalhar.

Os primeiros sentimentos vividos pelo isolamento social foram sentidos de forma distinta entre homens e mulheres. Os homens em geral são mais práticos, para 39% não houve medo nem pavor, apenas um ajuste na rotina enquanto apenas 18% das mulheres sentiram o mesmo. Já as mulheres se cobraram mais no início com relação a uma produtividade “extra” como cursos, lives e exercícios: 1/3 delas. 

Preocupações em comum, para 2/3 de homens e mulheres foram com relação a insegurança com a saúde de seus familiares e questionamentos mais amplos como por exemplo: se o Brasil vai quebrar, como será o mercado de trabalho do futuro, quando a pandemia vai acabar, entre outros, ficando acima da preocupação com a própria saúde. O impacto físico também foi sentido de forma diferente entre homens e mulheres. Para eles, 1/2 não teve nenhum sintoma físico enquanto que para elas, somente 1/3 não teve nenhum sintoma. Para os que tiveram sintoma físico, a insônia foi o mais citado por ambos.

A pandemia e o varejo

A adaptação ao isolamento social para metade das mulheres e dos homens foi mais difícil no início, estabelecer uma nova rotina, mas agora já têm uma rotina estabelecida, mas as semelhanças ficam por aqui. As mulheres se sentem sobrecarregadas embora a percepção dos homens seja diferente em relação às suas esposas/companheiras. Para 1/4 das mulheres, a maioria das tarefas domésticas ficou sob a sua responsabilidade, enquanto que metade dos homens acredita que dividem e continuam dividindo as tarefas domésticas com elas. A tarefa de acompanhar interagir com os filhos e ajuda-los nas aulas em casa recai muito mais sobre elas (>20%) x (<10%) sobre eles. 

A nova rotina no trabalho também tem sido difícil para as mulheres, 2/3 não se sentem confortáveis e apresentam dificuldades de conciliar com as tarefas domésticas. Embora a metade dos homens ache que as mulheres estão dando conta, há a percepção de que elas estão trabalhando muito mais, somado a uma grande carga de tarefas doméstica, as deixando muito cansadas. A rotina de compras também mudou. Quase 60% passou a comprar mais online e delivery. Por outro lado, 54% continua indo ao mercado e hortifrúti, sua única saída “sem culpa”. Quase 45% se programa mais para compras essenciais, consumo mais consciente e os produtos de limpeza ganharam relevância para 40% das entrevistadas.

Lados positivos do isolamento

No entanto, existem pontos positivos do isolamento, abordado por 44% das mulheres e dos homens, como fazer atividades juntos em família. Para 1/3 das mulheres práticas como a meditação também tem ajudado a passar por este momento estressante, assim como uma taça de vinho como atenuante do momento atual. Outro ponto muito positivo é a mudança de prioridades, as mulheres estão muito mais voltadas para seu interior, cuidando da saúde mental, bem-estar e alimentação de si mesmas e seus familiares, verbalizando frases como:  “Tô muito profunda neste momento”,  “Voltar para o simples”, “O que mais importa nesse momento sou eu e os meus, isso tem sido libertador” e “Faço no tempo que dá, aquilo que me faz bem” e dando sábios conselhos a si mesmas, como: “Tudo é passageiro”, “Aceite a instabilidade da situação”, “Continue tendo fé” e “Acredite em você”.

Por fim, as palavras que mais representam o momento atual para 2/3 das mulheres e 1/2 dos homens são: esperança, resiliência, fé, confiança, empatia, reflexão, introspecção, aprendizado e autoconhecimento, enquanto palavras como angústia, estresse, cansaço e insegurança aparecem com menos relevância neste momento.

Fonte: Pesquisa MdV online sobre a Pandemia e seus impactos, 3 focus groups + 146 respondentes, Grupos: 29/4 e 4/5 | Quantitativa: 25/5 a 14/6.

Foto: Shutterstock

 

Deixe um comentário