Destaques & lançamentos

Interação entre álcool e antibiótico é prejudicial à saúde

Combinação pode aumentar toxicidade do corpo

https://guiadafarmacia.com.br/alcool-interage-com-medicamentos/ . Tanto que, de acordo com a farmacêutica responsável pela Farmácia Universitária a Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), Maria Aparecida Nicoletti, o álcool é uma droga de metabolização hepática e, portanto, deve ser evitado com medicamentos que usem a mesma via (como os antibióticos macrolídeos e os antifúngicos), além de ser um irritante da mucosa gastrintestinal.

Entre as reações adversas que podem acontecer na interação entre álcool e antibiótico estão:

  • a excreção do medicamento administrado, diminuindo o tempo que a substância ativa permanece na corrente sanguínea.
  • consequentemente, o comprometimento do intervalo de administração previamente estabelecido.

“Existem antibióticos, antifúngicos e antirretrovirais que os indivíduos não podem de maneira alguma ingerir com álcool, como, por exemplo: Metronidazol, Tinidazol,  Cefotetan, Griseofulvina, Voriconazol, Cetoconazol, Didanosina, Linezolida,– Isoniazida, Rifampicina ou Pirazinamida,  Eritromicina ou Doxiciclina, Nirofurantoina”, explica Maria Aparecida.

Considerando a segurança do paciente, o consumo de álcool deve ser desencorajado durante as 24 horas que antecedem o início do tratamento até 72 horas após a finalização do mesmo. Isso porque o álcool pode prejudicar não só a duração do ativo, como potencializar as reações adversas dos antibióticos. Igualmente, a combinação pode dificultar a resposta do sistema imunológico. A saber, o uso de álcool com alguns medicamentos pode desencadear toxicidade hepática. Nesse sentido, vômitos, palpitações, calor, suor excessivo, dificuldade respiratória, cefaleia intensa e queda de pressão arterial podem estar presentes.

Com o objetivo de apresentar os medicamentos que podem interagir com a pílula, a Contento Comunicação elaborou o E-Book Interação medicamentosa com anticoncepcional. Aqui, você poderá encontrar a explicação correta sobre a diminuição ou corte do efeito da pílula anticoncepcional.

A orientação às pacientes da farmácia, que chegam com diversas dúvidas, é fundamental!

Foto: Shutterstock

Mais conteúdo sobre álcool X medicamento

10 razões para não misturar bebidas alcoólicas com medicamentos

O que pode cortar o efeito da pílula anticoncepcional?

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário