Internet das Coisas ajuda a diminuir perdas no setor farmacêutico

Tecnologia monitora temperatura de medicamentos

O armazenamento correto de medicamentos é um dos pontos cruciais de atenção no segmento farmacêutico. Condições inadequadas podem ser responsáveis pela perda de produtos, gerando não somente prejuízo, mas também riscos de punição por órgãos reguladores.

Nesse sentido, a Internet das Coisas (IoT) surge como uma aliada no controle dos itens. A tecnologia conecta equipamentos, máquinas, objetos, sistemas, dados e pessoas, integrando em uma rede com foco no aperfeiçoamento e aceleração de serviços e atividades.

No caso da temperatura, por exemplo, auxilia a mitigar perdas e manter a qualidade dos produtos por meio do monitoramento remoto, 24 horas por dia, com envio instantâneo de alertas em casos de não conformidade, além de controle não presencial de abertura de portas.

“A temperatura é a responsável direta pelo maior número de alterações e/ou deteriorações nos medicamentos. Problemas desta natureza ocorrem em cerca de 40% dos casos, comprometendo a qualidade do produto e causando possíveis riscos à saúde. Medicamentos abaixo ou acima da temperatura adequada aceleram reações químicas indesejadas e a decomposição dos produtos, alterando sua eficácia”, explica o diretor da SinapseTech, Reginaldo Black.

De acordo com o especialista, o uso de sensores de IoT, assim como outras inovações como Machine Learning e soluções em cloud computing, traz inúmeros benefícios ao controle do armazenamento de medicamentos para farmácias e outras organizações que fazem parte da indústria médica.

“O armazenamento é uma etapa importante do ciclo da cadeia farmacêutica, onde o foco é garantir a qualidade dos medicamentos com uma estocagem adequada. A boa conservação dos medicamentos gera credibilidade das empresas farmacêuticas com seu consumidor final. Neste mesmo sentido, pode ser um aspecto decisivo para o sucesso do negócio, já que um erro de armazenagem pode causar sérios danos para a vida de pacientes e estragos irreparáveis na reputação da organização”, finaliza ele.

Fonte: Infor Channel
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário