Destaques & lançamentos

Intimus lança movimento #menstruaçãosemcensura

No Brasil, 70% das entrevistadas acreditam que os homens não se sentem à vontade para falar de menstruação

A Kimberly-Clark, por meio de sua marca Intimus®, de cuidados femininos, e em parceria com a ONG Plan International, está implementando ações na América Latina que buscam promover a educação, questionar estigmas e mobilizar iniciativas para a erradicação da pobreza menstrual e da desinformação lança o movimento #menstruaçãosemcensura.

Para chamar a atenção para a data, Intimus® promove o movimento que tem por objetivo incentivar a não censura ao ciclo menstrual nas redes sociais, ajudando, então, na conscientização de que a menstruação é algo natural, e que é necessário falar e questionar os estigmas relacionados ao ciclo menstrual.

“Não é aceitável que quem menstrua continue a viver experiências limitantes, que impossibilitem a educação, o cumprimento de seus compromissos de trabalho ou uma vida cotidiana plena. A menstruação não pode ser um impedimento para o desenvolvimento e aspirações pessoais”, enfatiza o diretor de marketing da Kimberly-Clark para América Latina, Allan Sneider.

Estigmas da menstruação 

Hoje, cerca de 30% (60 milhões) da população brasileira menstrua, segundo o relatório “Livre Para Menstruar” (Free to menstruate), realizado pela ONG Girl Up. São 1,24 milhão de meninas (11,6% do total de estudantes) que não têm papel higiênico disponível nos banheiros das escolas onde estudam.

Já entre as meninas de 10 a 19 anos, que deixaram de realizar alguma atividade (estudar, fazer tarefas domésticas, trabalhar ou até mesmo brincar) por “problemas de saúde”, nos 14 dias anteriores à data da investigação, 2,88% foram por problemas menstruais (apontaram a menstruação como o principal motivo de saúde para isso), de acordo com o relatório “Pobreza Menstrual no Brasil: Desigualdades e Violações de Direitos”, realizado pelo Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Além disso, uma pesquisa realizada pela marca* revelou que, no Brasil:

  • Mais de um terço das entrevistadas acham que o período menstrual pode demonstrar “fragilidade”.
  • Mais da metade das entrevistadas na América Latina não se sentem à vontade para falar de menstruação com qualquer pessoa, principalmente se for homem. No Brasil, 44% delas se sentem à vontade para conversar com qualquer pessoa sobre o assunto e 43% das entrevistadas só se sentem à vontade para conversar com outras mulheres; 13% delas não se sentem à vontade para falar sobre o tema com ninguém.
  • No Brasil, 70% das entrevistadas acreditam que os homens não se sentem à vontade para falar de menstruação.
  • Três a cada dez não costumam ver conteúdo em que o tema é abordado naturalmente.

*Fonte da pesquisa: pesquisa realizada pela marca Intimus®/Kotex em maio de 2022, por meio de suas contas locais do Instagram, em países da América Latina. Número de respostas obtidas: 1.469.

Fonte: Intimus

Foto: tissueonline

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário