Johnson & Johnson pede inclusão de vacina em lista de uso emergencial da OMS

Isso permitiria, então, um acesso mais amplo à vacina de dose única

A J&J disse que encaminhou no último dia 19, dados à Organização Mundial da Saúde (OMS) pedindo a inclusão de sua vacina contra Covid-19 em uma lista de uso emergencial.

Isso permitiria, então, um acesso mais amplo à vacina de dose única.

A empresa disse também que a inclusão em uma lista de uso emergencial é, portanto, um pré-requisito para o suprimento de vacinas para o Covax.

Ou seja, do programa de vacinas coliderado pela OMS que almeja entregar doses a países pobres e também de renda média.

Todavia, a vacina da J&J é administrada em uma única dose e pode ser armazenada à temperatura de geladeiras normais.

Portanto, uma grande vantagem competitiva em países com uma infraestrutura de saúde relativamente mais fraca.

A vacina também está sendo analisada pela Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA).

E uma comissão de especialistas desta entidade deve, então, debater a autorização de uso emergencial da vacina na semana que vem.

Ela está sendo distribuída na África do Sul, portanto, sua primeira utilização fora de um grande teste clínico.

No mês passado, a J&J disse que a vacina se mostrou 66% eficaz na prevenção de Covid-19 em um grande teste global de estágio avançado com múltiplas variantes do coronavírus.

O nível de proteção variou: 72% nos EUA, 66% na América Latina, já na África do Sul foi de 57%.

Os dados da empresa entregues à OMS incluem resultados do teste de estágio avançado.

A saber, em dezembro, a J&J fechou um acordo de apoio ao Covax.

Fonte: Exame / Reuters

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário