Johnson & Johnson anuncia candidata à vacina para COVID-19

Johnson & Johnson terá capacidade adicional de fabricação da vacina dentro e fora dos EUA para iniciar a produção em caráter emergencial e garantir o fornecimento global

A Johnson & Johnson (NYSE: JNJ) anunciou hoje que selecionou uma candidata à vacina contra o COVID-19, que vem sendo estudada desde janeiro de 2020 em uma parceria da Janssen, empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, com a Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédico Avançado (Biomedical Advanced Research and Development Authority – BARDA, na sigla em inglês).

A empresa fará um aumento de sua capacidade de fabricação para iniciar a produção em caráter emergencial. Assim, buscando garantir o fornecimento global de mais de um bilhão de doses da vacina. A companhia espera iniciar a fase 1 de estudos clínicos em humanos até setembro de 2020. Estima que os primeiros lotes da vacina possam estar disponíveis para uso emergencial no início de 2021. O prazo é substancialmente acelerado em comparação ao processo típico de desenvolvimento de vacinas.

Por meio de uma parceria de referência, a BARDA, que faz parte da Secretaria de Preparação e Resposta (Office of the Assistant Secretary for Preparedness and Response – ASPR) do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, e a Johnson & Johnson investirão mais de US$ 1 bilhão para financiar em conjunto pesquisa, desenvolvimento e testes clínicos da vacina. A Johnson & Johnson usará sua plataforma de vacinas, já validada, e está alocando recursos globalmente, incluindo mão de obra e infraestrutura, conforme necessário, para esses esforços. Separadamente, a BARDA e a empresa forneceram financiamento adicional para a expansão de seu trabalho em andamento que visa a identificar possíveis tratamentos antivirais contra o novo coronavírus.

Capacidade global de fabricação expandida

Como parte de seu compromisso, a Johnson & Johnson também está expandindo sua capacidade global de fabricação, o que inclui estabelecer novas capacidades industriais para vacinas nos EUA e aumentar a capacidade em outros países. Isso possibilitará aumentar a velocidade de produção da vacina, bem como permitirá o fornecimento de mais de um bilhão de doses seguras e eficazes para todo o mundo. A empresa planeja iniciar a produção em caráter emergencial e está comprometida em levar ao público uma vacina acessível, sem fins lucrativos, durante a pandemia.

O Chairman e Chief Executive Officer da Johnson & Johnson, Alex Gorsky, disse: “O mundo está enfrentando uma crise de saúde pública urgente e estamos comprometidos em fazer a nossa parte para tornar a vacina contra a COVID-19 disponível e acessível globalmente o mais rápido possível. Sentimos profunda responsabilidade de melhorar a saúde das pessoas ao redor do mundo diariamente. A Johnson & Johnson está bem posicionada, com uma combinação de conhecimento científico, escala de operação e saúde financeira, para, em colaboração com outros, alavancar seus recursos para acelerar a luta contra essa pandemia”.

O Vice Chairman e Chief Scientific Officer da Johnson & Johnson, Paul Stoffels, disse: “Valorizamos muito a confiança e o apoio do governo dos EUA em nossos esforços de pesquisa e desenvolvimento. A equipe global de especialistas da Johnson & Johnson elevou nossos processos de pesquisa e desenvolvimento a níveis sem precedentes e nossos times estão trabalhando incansavelmente ao lado da BARDA, de parceiros científicos e de autoridades globais de saúde. Estamos avançando em um cronograma acelerado rumo à fase 1 de estudos clínicos em humanos que acontecerá, no mais tardar, em setembro de 2020. Apoiados pela ampliação da capacidade global de produção que estamos realizando paralelamente aos testes, esperamos que a vacina esteja pronta para uso emergencial no início de 2021”.

Sobre a vacina candidata contra a COVID-19 da Johnson & Johnson

A Johnson & Johnson iniciou seus estudos em janeiro de 2020, assim que o sequenciamento do novo coronavírus (COVID-19) ficou disponível, para pesquisar possíveis candidatas a uma vacina. As equipes de pesquisa da Janssen, em colaboração com o Beth Israel Deaconess Medical Center, elaboraram e testaram várias candidatas à vacina usando a tecnologia Janssen AdVac®.

Por meio de colaborações, as candidatas à vacina foram testadas para identificar aquelas mais promissoras em produzir uma resposta imune em testes pré-clínicos.

Com base neste trabalho, a Johnson & Johnson identificou uma possível candidata à vacina contra a COVID-19 (com dois backups), que progredirá para as primeiras etapas de fabricação. Sob um cronograma acelerado, a companhia pretende iniciar a fase 1 de estudos clínicos em setembro de 2020. Assim, tendo os primeiros dados clínicos sobre segurança e eficácia até o final do ano. Isso permitirá a disponibilidade de vacinas para uso emergencial no início de 2021. Em comparação, o processo típico de desenvolvimento de vacinas envolve vários estágios de pesquisa diferentes. O processo típico podem durar de 5 a 7 anos, antes mesmo de uma candidata ser considerado para aprovação.

Por mais de 20 anos, a Johnson & Johnson investiu bilhões de dólares em sua capacidade de desenvolver e fabricar antivirais e vacinas. O programa de vacinas contra a COVID-19 é impulsionado pelas já consolidadas tecnologias AdVac® e PER.C6® da Janssen, que proporcionam a capacidade de desenvolver rapidamente novas candidatas à vacinas e aumentar a produção da candidata ideal. As mesmas tecnologia foram usadas para desenvolver e fabricar a vacina da companhia contra o Ebola e elaborar candidatas à vacinas contra o Zika, o vírus sincicial respiratório (VSR) e o HIV, que estão nas fases 2 e 3 dos estágios de desenvolvimento clínico.

Pesquisa antiviral expandida

Além dos esforços de desenvolvimento de vacinas, a BARDA e a Johnson & Johnson também ampliaram sua parceria para acelerar o trabalho contínuo da Janssen na triagem de compostos, incluindo os de outras empresas farmacêuticas, com o objetivo de identificar possíveis tratamentos contra o novo coronavírus. A Johnson & Johnson e a BARDA estão fornecendo recursos financeiros como parte dessa parceria. Esses esforços para triagem de antivirais estão sendo realizados em parceria com o Rega Institute for Medical Research (KU Leuven/ Universidade de Leuven), na Bélgica.

A companhia e a BARDA têm trabalhado em estreita colaboração com parceiros globais para rastrear as moléculas antivirais da Janssen e acelerar a descoberta de possíveis tratamentos contra o COVID-19.

A COVID-19 é proveniente de um grupo de vírus chamado coronavírus que atacam o sistema respiratório. Atualmente, não há vacina, tratamento ou cura aprovados para esta doença.

Para obter mais informações, visite: http://www.jnj.com/coronavirus.

Foto: Shutterstock
Fonte: Johnson & Johnson

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário