Johnson & Johnson lucra mais que o esperado no 3º trimestre

A Johnson & Johnson registrou lucro líquido de US$ 3,67 bilhões, uma alta de 3,2% em relação ao mesmo período de 2020

A Johnson & Johnson (J&J) apurou lucro líquido de US$ 3,67 bilhões no terceiro trimestre de 2021, uma alta de 3,2% em relação a igual período de 2020.

De acordo com o balanço corporativo da empresa divulgado na última terça-feira (19).

O resultado equivale, portanto, a um ganho por ação ajustado de US$ 2,60, superando a previsão de analistas consultados pela FactSet, de US$ 2,35.

Vendas

As vendas totais da empresa subiram de US$ 21,082 bilhões entre julho e setembro do ano passado a US$ 23,338 bilhões.

Portanto, então, mesmo intervalo do exercício atual.

Neste caso, o saldo ficou ligeiramente abaixo do consenso do mercado, de US$ 23,642 bilhões.

Os ganhos da companhia foram impulsionados pela divisão farmacêutica, embalada, certamente pelas vendas da vacina contra o coronavírus.

Embora, todavia, o produto seja comercializado sem objetivo do lucro.

Nessa área, as vendas totais se elevaram 13,8% na base comparativa em questão.

Outros fatores responsáveis pelos resultados da Johnson & Johnson no 3º trimestre

Sua unidade de dispositivos médicos gerou US$ 6,6 bilhões, um aumento de 8%.

Essa unidade foi  atingida no ano passado, quando a pandemia do coronavírus forçou os hospitais a adiar cirurgias eletivas e mais pessoas ficaram em casa.

O diretor financeiro da J&J, Joseph Wolk, disse que a perda de receita se deve à unidade de vacinas e dispositivos médicos.

A empresa manteve suas perspectivas de vendas de vacinas para o ano.

E também de planeja enviar o máximo possível durante o resto do ano, disse Wolk.

A J&J também experimentou “flutuações nos procedimentos eletivos com a variante delta”.

O relatório da J&J veio sob a sombra de críticas sobre como lidou com a crise de opióides e o desenvolvimento de uma vacina de Covid-19 comparativamente menos eficaz sob o comando do CEO Alex Gorsky.

Em um comunicado à imprensa, Gorsky disse que, portanto, os resultados financeiros “demonstram um desempenho sólido em toda a Johnson & Johnson, impulsionado por resultados robustos acima do mercado em Produtos Farmacêuticos, recuperação contínua em Dispositivos Médicos e forte crescimento em Saúde do Consumidor”.

No início deste mês, a empresa pediu à Food and Drug Administration (FDA) para autorizar uma dose de reforço de sua vacina de dose única de Covid-19.

No entanto, um influente comitê consultivo do FDA disse que a agência deveria autorizar reforços da vacina da J&J para os mais de 15 milhões de americanos que já receberam a dose inicial.

A decisão final do FDA é esperada dentro de alguns dias.

Fontes: Exame, Estadão e ADVFN

Foto: Shutterstock

 

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário