Laboratório cria remédio com resultado semelhante ao da cirurgia bariátrica

Tirzepatide, da Eli Lilly, é o primeiro medicamento experimental a entregar mais de 20% de perda de peso em média em um estudo de fase 3

Um novo medicamento para obesidade ajudou os pacientes a perderem, em média, 22,5% de seu peso corporal em 72 semanas. O resultado é muito superior ao de outros medicamentos para perda de peso e, portanto, semelhante ao obtido por meio da cirurgia bariátrica.
A conclusão é baseada em dados preliminares de um estudo clínico fase 3 desenvolvido pela farmacêutica Eli Lilly, divulgados recentemente, dia 29 de abril.

Todavia, os resultados do novo estudo ainda não foram publicados em uma revista científica.

Chamado de tirzepatide, o medicamento, então, imita a ação de um hormônio chamado peptídeo inibidor gástrico (GIP).

Então, os primeiros estudos descobriram que esta nova molécula resulta em uma dupla ação nos receptores GLP-1 e GIP.
Levando, então, a maior diminuição na ingestão de alimentos e maior aumento no gasto de energia.

Fases do estudo

O estudo de fase 3 incluiu 2.539 indivíduos em nove países, com peso corporal médio de 105 quilos e IMC de 38.

Os participantes foram aleatoriamente divididos em quatro grupos: tirzepatide 5 mg, 10 mg, 15 mg ou placebo.
O tratamento envolveu uma injeção subcutânea semanal do medicamento – ou placebo.

IMC

Após 72 semanas, aqueles que tomaram a dose mais baixa perderam uma média de 16% de seu peso corporal.

Enquanto aqueles que tomaram a dose mais alta perderam 22,5% e ficara com IMC pouco abaixo de 30.

Isso significa que eles saíram da classificação de “obesidade”, definida, então, por IMC igual ou superior a 30, para “sobrepeso”.

De acordo com Louis J. Aronne, diretor do programa abrangente de controle de peso do Weill Cornell Medical Center e investigador principal do estudo, alguns participantes ficaram com um IMC considerado “normal”.

Por outro lado, os participantes que tomaram o placebo perderam apenas 2,4% no peso corporal.

“Tirzepatide é o primeiro medicamento experimental a entregar mais de 20% de perda de peso em média em um estudo de fase 3, reforçando nossa confiança em seu potencial para ajudar pessoas que vivem com obesidade”, disse, portanto, o vice-presidente de desenvolvimento de produtos da Eli Lilly, Jeff Emmick.

É importante notar que além do medicamento, todos os participantes fizeram dieta e aderiram, então, a um programa de exercícios.

No entanto, considerando que o grupo placebo também seguiu essas intervenções, a tirzepatida parece realmente promissora.

Os resultados preliminares do medicamento foram considerados superiores ao da semaglutida, cujos dados dos testes clínicos foram considerados “revolucinários”.

A semaglutida é um medicamento inicialmente desenvolvido para o diabetes que, no ano passado, foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) para sobrepeso e obesidade.
Ela imita a ação do GLP-1, hormônio produzido pelas células intestinais que desempenha várias funções metabólicas.
Desde regular os níveis de açúcar no sangue até ajudar a suprimir apetite.

Diabetes

A saber, tirzepatida já está em avaliação pela FDA para o tratamento de diabetes.

Com base nestes novos resultados, a expectativa é, portanto, que o tratamento seja aprovado nos próximos meses também para diabetes e obesidade.
A obesidade é uma doença crônica cuja prevalência só aumenta no mundo todo, incluindo, portanto, o Brasil.

Problemas para emagrecer

Dieta e exercício, combinados com medicamentos disponíveis para emagrecimento, geralmente produzem uma perda de peso de cerca de 10% nos pacientes.

Isso, todavia, é suficiente para melhorar a saúde, no entanto, não para fazer uma grande diferença na vida das pessoas obesas.

No entanto, único outro tratamento disponível é a cirurgia bariátrica, que pode resultar em emagrecimento substancial.

Todavia, muitas pessoas são inelegíveis ao procedimento ou simplesmente não querem se submeter, então, à operação.
Fonte: O Globo
Foto: Shutterstock
Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário